Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DEFLORADA POR UM CÃO

Esta histária realmente aconteceu, já fazem dois meses, e foi depois de muitos pedidos de alguns amigos na internet que tomei coragem para contar. Meu nome é Shirley, tenho 32 anos, sou bem bonita(é o que dizem), com cabelo preto comprido, 1,70m e 57Kg, e uma bunda bem empinada. Tenho uma filha, Flávia, 19 anos que está virando mulher, com os seios se formando, vai ficar muito parecida comigo. Sou casada com Paulo, que trabalha muito, e quase sempre longe de casa. Bem, era uma sexta-feira e eu estava fazendo uma faxina em casa. Estava sozinha, minha filha estava na escola e meu marido tinha viajado e sá voltaria mais de um mês depois. Estava limpando uns vidros, quando Flux, o nosso cão (um rottweiler enorme, preto, lindo) começou a latir sem parar. Fui dar uma olhada e vi que era uma amiga minha que queria me mostrar uma cadelinha que tinha ganhado, muito bonitinha, é verdade. Fiz então uns agrados pra cadelinha, peguei ela no colo e tal, enquanto conversava com minha amiga. Logo vi que a cadela estava no cio, pois do lado de fora do pátio tinha uns dois cachorros rodeando. Depois disso, me despedi da minha amiga e voltei para casa, mas Flux continuava a latir. Então peguei ele e o levei pra área de serviço, onde eu iria limpar agora. Quando cheguei com ele lá, ele sentiu o cheiro do cio da cadelinha da minha vizinha, que tinha ficado em mim, e ficou de um jeito que eu nunca tinha visto. Ele ficou me cheirando por um tempo, e eu tentei esquecer e fazer meu serviço, mas como eu tava com um shortinho surrado e bem suada, ele logo sentiu um cheiro mais forte vindo da virilha. Com isso ele enfiou forte seu focinho contra a minha buceta, e eu que ainda tentava limpar o vidro, cheguei a me desequilibrar. Então vi que ele ficava cada vez mais louco, por isso fui embora, mas quando virei as costas para ele, senti ele pular em mim e segurar a minha cintura, que loucura aquilo. Fiquei desesperada com a idéia do meu cachorro me comer, e eu, que já estava de quatro, como ele queria, me joguei no chão e gritei com ele. Com isso ele deu uma recuada e fiz um movimento rápido pra sair logo de lá. E tranquei ele lé dentro. Fiquei com o coração na mão, meio machucada, mas fazer o que? Continuei com a faxina. Já era quase noite quando então chegou minha filha, toda feliz com uma festa que teria mais tarde. Me deu "oi" e já correu pro banheiro tomar um banho. Assim que ela saiu, eu fui tomar o meu, mas antes liguei o som, como eu adoro fazer. Depois do átimo banho, estava recomposta, fui me vestir e então escutei uns gemidos que vinham do lado da área de serviço. Pensei ser uma vizinha, mas percebi que vinha mais de perto, então corri pra ver o que era. Chegando na área, tive uma das visões mais espantosas da minha vida. Vi minha pobre filhinha, que era virgem, sendo quase que estuprada pelo Flux. Ela estava de quatro, com a toalha ainda enrolada nas costas, babada na nuca, com uma cara de agonia e dor. Olhei então para o pau, nunca tinha reparado que era tão grande, afinal ele também era virgem, mas o pau tava sujo de sangue da Flávia. Fiquei meio paralisada, sem saber o que fazer, a Flávia me olhava com uma cara de medo e vergonha. Olhei em volta e vi um balde com água, e quando ia pegar, minha mifha falou que agora a dor já tinha quase passado e que agora estava bom, então fui me contagiando por um prazer indescritível, que brotava na minha xana e ia pro resto do corpo. Os gemidos da Flávia eram agora sá de prazer, embora Flux tivesse enterrado toda aquela jamanta naquela toca inexplorada. Cheguei mais perto dos dois e com uma mão fiquei acariciando a cabeça da minha filha, enquanto a outra procurava minha buceta e meu clitáris. Nessa hora Flux, que estava em cima de Flávia, ficou de bunda com ela, com o ná estufando a bucetinha da Flávia. Ela estava arfando, estava gozando e tentava me descrever. Disse que o pau estava pulsando dentro dela, e tinha alguma coisa a mais, que parecia líquido. Pouco depois eu também gozei, e depois de uns 19 minutos(depois da Flávia gozar mais duas vezes) Flux começou a forçar a saída do cacete. Eu então tentei segurar minha minha, enquanto Flux deu um puxão forte e tirou o pau de uma vez, fazendo um barulho estranho, como que tirando uma rolha. Junto com o cacete, saiu muita porra, eu nunca tinha visto tanta, mas também saiu um pouco de sangue, e certamente o gozo da Flávia. Flux seguiu seus instintos e foi lamber seu pau, e depois a buceta da Flávia, que estava exausta e paralisada com tudo aquilo. Depois dela tomar outro banho, eu lhe perguntei como aquela loucura começou. Ela contou que depois do primeiro banho, ela viu que não tinha mais calcinhas limpas no quarto, e foi na área de serviço ver se tinha uma por lá. Ela entrou lá, e nem reparou que o flux tava lá, e ficou ajoelhada(enrolada na toalha) procurando. Então sentiu uma fungada no traseiro e virou a cabeça, viu que era o Flux, e até ficou mais de quatro, pois gostou daquilo. E o Flux foi adiante, já enfiando a fuça na bucetinha dela. Quando ela percebeu que aquilo estava ficando perigoso, esboçou uma reação, mas foi completamente dominada pelo Flux, que se agarrou nas ancas dela e em menos de dez estocadas já acertou o alvo. Ela ainda me chamou, mas com o som alto eu não escutei nada, e quando eu cheguei já era tarde, ela já tinha sido completamente deflorada. Como ela teria que descansar(afinal ela ficou arrombada), o plano da festa foi embora e ela foi dormir, e eu também. Mas naquela noite eu não consegui dormir muito, pois a memária sempre me voltava com aquelas cenas bizarras, e quando conseguia dormir, tinha sonhos de estar sendo fodida pela vara do Flux, e daí acordava, suada e molhadinha. Depois daquela noite mal dormida, lembrei que o Flux ainda estava trancado na área, então fui lá soltá-lo. Ele saiu todo faceiro, com jeito de garanhão, e com aquele pau, que já não saía da minha cabeça, guardado naquela capa de pêlos. Esse cachorro safado ainda teve muitas fodas, que eu ainda contarei. Espero que tenham gostado da minha histária, e gozado com ela. Gostaria que as mulheres que já tiveram esse tipo de experiência me mandassem emails me informando como proceder para fazer uma sessão anal com o Flux, pois ainda não tive coragem.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contoerotico meu sogro meu jumento gostosocontos eroticos que saudade da lingua dela na minha bcontos eroticos minha tia de saiaconto gemendo no pau do pone taradoconto erotico -comi minha namorada e sua irmã dcomtus erroticu de zoofelia mulhe casada dano banho no seu cachorrovídeo do Seu Madruga metendo a pica no c* da Dona FlorindaFilha babando pau do pai contoseroticoscontos eróticos de mãe cavala novinha que deixa a filha chupar seus peitos desde pequenamae rabuda de camizolo dando pro filhode conchinha sem calcinha (contos)Como posso acaricialo com tesaotrepei com a virgemcontos de gays gordos em maringaComtos casadas fodidas pelos empregados do maridocontos gay meu pai me pegou no flagralevei minha prima pra um hotel eu tirei a virgindade da buceta dela conto eróticocontos fode mesmoContos eroticos gay meu cachorro me comeucontos eroticos primeira vez infância incestocontos eroticos dopando pra meter mo cutia rabuda deitada prerto de sobrinhoTio come sobrinha a força contos eroyicosconto erotico facilitei para fuderem minha mulheraquelas olhadas safadasContos zoofilia d mulheres q ficaram grudadas com cachorros do nó grandecontos eróticos mulher casada que mora com seus pais chegar mais a capoeiracontos eróticos de filho e mae sadadqcontos de aluciando pela buceta peluda da maecache:Z27QSQh68NwJ:https://mozhaiskiy-mos.ru/m/conto_3473_meu-vizinho-fofo.html Meu nome é Luiza, tenho 26 anos, 1,70 mTirei o cabaço da minha entiada e sua mae a ajudou para nao doer muitoBuceta tiaperucaseparada e depilada contosContoseroticos cavaloa minha cunhada casada e saia justa contos com fotoscontos erotico peguei meu marido dando cu para seu melhor amigo dotadaoconto sexo bunduda da roçacasa dos contos putinha desde novinhamurhler.abusada.estrupradoconto levadio e safadinho bucetinhacontos putinha galeraconto erotico cornocontos eróticos gay coroa pintado e o meninoSobrinho da Academia tia gordinha conto eroticoconto erotico eu estava tao bebada que nao sei quem me comeu me encheu meu utero de leitecontos massagem na tiacontos eroticos de putaria bi no carnavalconto erotico comendo sogra no veloriocontos estupradacontos eroticos arrombando a gordaasmininas fudenu de camisinhaConto erotico gay virgem tendo quer da a força chocantos eróticos chorei e mijei na pica do marido da minha irmãcontos eróticos na roça com minha maeContos eroticos estava de calcinha fio dental e fui fudida pelo mendingocontos meu maridoadoro mamar na grávida contos eróticosContos de sexo en onibuscontos eroticos fiquei espetada na tora do negao com fotoscontos de violadasmenines sendo encoxadas no onibus lotado/casadoscontoscontos meteu no cu sem avisarcontos eroticos de homem chupando a buceta esperadacotos.eroticos.de.comnovinhas.xorando.navaracontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto sexual com cadela zoofiliacontos eróticos evangelicascontos eroticosirmazinhacontos eroticos no escurocontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosapremira vez da fenandinhasobrinha de calcinha na piscina contosMinha vizinha me deixou ver ela transando contoscontos eróticos mamando na rolacontos eroticos me comeram no trabalhoSonifero contosnão aguento no cu contos