Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TIRANDO AS MEDIDAS

Oi meu nome é K.. Tenho 22 anos, 1,65m, 50kg, cabelos castanho-claro compridos, olhos verdes, seios pequenos pra médios e uma bunda até q grande e bem empinada e durinha. Vou contar uma coisa q me aconteceu e me deixa encharcada sá de lembrar o qto foi bom.

Trabalho numa loja de aluguel de roupas pra festas. Sempre preciso tirar as medidas das mulheres pra ajustar os vestidos. Mas sempre fiz isso sem problemas, nunca tive interesse em mulheres, tenho namorado, então vivia minha vida normalmente. Até q chegou uma moça pra alugar um vestido. Patrícia, seu nome, é linda! Tem 1,70m, uns 50 kg tb, olhos verdes, pele bem branquinha e cabelos compridos bem negros, uns 19 anos, DELICIOSA! Começamos a conversar e me senti estranha, inebriada com seu cheiro, seu olhar safado, seus gestos sensuais e sua boca maravilhosa. Não entendia o q sentia, mas akela menina mexeu comigo. Ela veio no horário do almoço, então estava sozinha na loja. Conversamos e ela escolheu um vestido lindo, logo q ela mostrou ja imaginava ela vestindo akilo ia ficar deslumbrante. Mas ela me disse q nao tinha tempo pra provar, tirar as medidas, então marcamos pra três dias depois, às 18h30, depois da loja fechar, pois as vezes fico até mais tarde pra atender quem nao pode vir mais cedo. Fiquei zonza com o q sentia, não conseguia tirá-la da minha cabeça, nao sabia o q fazer. Cheguei em casa excitada, molhada e fui pro banho pra me refrescar. Mas conforme passava o sabonete pelo corpo ficava mais quente e lembrava da Patrícia. Acabei o banho, me sequei e fui para o quarto, mais molhada ainda. Não aguentei e me toquei até gozar, pensando nela. Tentei relaxar e esquecer, mas era dificil, os dias nao passavam. Quando chegou o dia marcado, o tempo se arrastava, e eu cada vez mais ansiosa. Finalmente chegou 18h00, fechei a loja, meus patroes foram embora e me deixaram sozinha. Como tinha um banheiro e chuveiro lá, e costumava levar roupas pra me trocar, tomei um bom banho, vesti uma blusinha roxa, levinha, uma calça social preta, daquelas bem justas, q denunciavam as deliciosas formas do meu bumbum, prendi o cabelo deixando meu pescoço livre. Mas de repente, começou a chover. Uns 5 minutos depois tocou a campainha. Era ela! Abri a porta e coitada, ela tava toda molhada, pegou a chuva no caminho. Dei um beijinho no rosto, ela dava risada por ter se molhado, fazer o q? Tranquei a porta e acompanhei-a até o quartinho. Entreguei uma toalha e ela agradeceu. Colocou sua bolsa na cadeira e reclamou da falta de sorte de ter pegado a chuva no caminho. Falei pra ela tirar a roupa pois eu colocaria na secadora q tem nos fundos. Tirou e pude ver a beleza de seu corpo. Magra, nao muito, uns seios médios e uma bundinha empinadinha. Ficou totalmente nua na minha frente, algo q nunca aconteceu comigo. Peguei suas roupas, ela me deu um sorriso lindo e fui abalada pra colocar as roupas pra secar. Qdo voltei, ela estava ajoelhada num sofa, olhando a chuva pela janela. Deslumbrante! Fiquei parada olhando aquela perfeiçao, de 4 no sofá, a bundinha empinadinha e aquele pacote, depiladinho, lindo. Ela olhou pra tras, com cara de safada e sorriu. "Vamos começar? Tava olhando a chuva e nao tá com cara de que vai passar logo." E estava mesmo, por dentro torcia pra que ela nunca mais saisse de lá! "Pode ficar sossegada, pode ir embora qdo sua roupa secar e a chuva parar. Pelo jeito vamos ter bastante tempo pra conversar" Fomos para o quartinho pra começar a tirar suas medidas. Pedi pra q ela ficasse de frente pro espelho. Q linda q ela estava, totalmente nua, com o cabelo preso, o pescoço livre pra caricias q eu nao sabia se podia fazer... "Vc nao se incomoda por eu ficar pelada?" "Não sou acostumada, as mulheres ficam de calcinha e sutia, mas vc nao pode, ta tudo molhado. Nao se preocupe, pra mim nao tem problema, é ate melhor pra te medir..." "Ah, tá, mas fico constrangida por estar nua na sua frente, vc vestida assim, linda desse jeito." Ela se virou pra mim, pegou minhas maos e disse, com um sorriso malicioso: "Tira a roupa vc tb, vou me sentir bem melhor..." Fiquei sem jeito, mas sorri e disse q nao tinha problema. Fui tirando minhas roupas debaixo de seus olhares gulosos de quem sabia o q estava fazendo, até ficar peladinha. "Nossa, q corpo lindo vc tem K., fico até com inveja" "Ah, para, vc tem um corpo lindo tb. Vou tirar sua medidas so pra te mostrar q perfeiçao vc é" Abracei-a pelas costas pra medir sua cintura e reparei q ela ficava observando cada movimento meu pelo espelho. Anotei e fui medir seu busto. Coloquei a fita meio q segurando os peitos dela: "Hum, nao faz assim q eu gamo, hein" "Ah, é safadinha? Entao vc vai se apaixonar agora..." Ajoelhei de frente pra ela e fui tirar as medidas das coxas e do quadril. Estava tao perto de sua xota q senti seu cheiro inebriante e vi q brilhava de tao molhada q estava. Apalpei suas nadegas pra medir o quadril, conversando com ela: "Vc é novinha mas parece ser bem safada, né?" "Sá um pouco, mas qdo sinto vontade nao penso, vou com tudo" "Hum, e o q vc tem vontade agora?" disse, tirando as medidas da sua coxa, resvalando na sua buceta deliciosa, q ja escorria, pois molhou minha mao. Ela me surpreendeu dizendo: "De tirar as suas medidas tb." Ajoelhada, olhei pra ela, direto nos olhos e disse: "Vc quer mesmo?" "Quero" Me levantei e fiquei de costas pra ela, q pegou a fita das minhas maos e me segurou pela cintura. Aproximou sua boca do meu ouvido: "Ja teve vontade de transar com uma mulher?" "Não aconteceu, mas nunca se sabe qdo pode pintar uma chance né?" "Vc é muito linda, delicada, com certeza uma mulher se interessaria por vc. Vc iria?" "Se sentisse q vale a pena, se a mulher for linda como vc, acho q sim, eu arriscaria" Ela colou seu corpo no meu e começou a dar beijinhos no meu pescoço e no meu ombro. "Se ela chegasse a ficar assim em vc, vc resistiria?" disse subindo suas maos macias e delicadas para os meus seios, apertando os biquinhos durissimos e me fazendo dar o primeiro gemido abafado. "Se uma mulher te tocasse assim e sentisse como vc está, acho q nao aguentaria" "Se chegar a esse ponto, nao tem volta, ela vai ter q me comer..." Virei-me pra ela e olhei nos seus olhos. Aproximamos nossos lábios lentamente e nos beijamos com muita paixao. Era demais sentir seu corpo junto ao meu, nossos seios se esmagando, nossas coxas se esfregando... "Desde q vc veio aki aquele dia nao parava de pensar em vc, nunca senti isso mas te quero." Agarrei suas nadegas e apertei com gosto, puxando ela de encontro a mim, ela fez o mesmo e gemia-mos. Fomos para um sofá no quarto dos fundos. "Vou te mostrar o quanto estou louca pra te comer. Quero ouvir vc gemer alto." E podia gemer bem alto, pois a chuva nao parava, um temporal mesmo, entao ninguem ouviria nada. Sentou-se no sofa e eu sentei no seu colo. Nos beijamos com mais tesao ainda enquanto ela apertava meus peitos. "Seus seios sao lindos, esses biquinhos apontando pra cima estao demais" e caiu de boca neles. Chupava maravilhosamente bem, nunca ninguem tinha feito daquele jeito comigo. Sem parar de me mamar, desceu sua mao na minha xota, sempre elogiando cada parte do meu corpo: "Olha essa bucetinha linda, nunca levou uma lingua de mulher. Adoro essa trilhinha de pelos..." Me deitou e veio por cima, me beijando muito, depois foi descendo para meus peitos, mamou gostoso e foi descendo mais, parou no meu umbigo, eu gemia, entao ela desceu na minha xota. Deu umas lambidinhas por cima, quase gozei. Foi passando os dedos carinhosamente por cima, até o grelinho, durissimo. "Que grelinho gostoso, vou chupar muito ele, é grandinho ele hein?" Chupava, lambia mordia meu grelinho, me fazendo contorcer de prazer, me deixando louca, depois enfiou a lingua dentro de mim, e fazia com maestria, entrando tudo o q podia e chupando minha xota. "Ah, q delicia, vc é muito boa nisso, ahhhh, tesao, já fez isso antes né puta?" "Já mas nunca achei uma menina tao linda qto vc, quero te comer inteirinha, hj vc é so minha." E era mesmo, daquele jeito queria ela pra sempre. Ela levantou um pouco mais meu quadril e foi com a lingua no meu cuzinho. Nunca recebi carinhos ali, por isso achei maravilhoso. Ficou lambendo meu cuzinho por um bom tempo, ate voltar pra minha buceta, mas enfiou um dedinho no meu rabinho. Gemi alto: "Ahhhh, q gostoso, continua, nao para nao, ta muito bom..." Ficou socando seu dedinho em mim e me castigando com a lingua na minha xana. Estava quase gozando, qdo ela parou e veio me beijar. Abracei-a e beijei-a com muito tesao, estava apaixonada por ela. "Agora vc vai aprender como se faz. Não tenha medo, faça o q tem vontade." Agarrei entao seus seios e mamei gostoso, nunca imaginei q fosse tao bom. Ela gemia, dizendo q tava otimo, q eu aprendi rapido. Ela levantou e se ajoelhou no sofa, daquele jeito de antes, entao cai de boca. Nao sabia q o gosto de buceta e tao bom, acabei me viciando. Nao cansava de chupar aquela delicia entao ela pediu: "No cuzinho, agora, faz gostoso." Abri suas nadegas e enfiei minha lingua com gosto naquele rabinho apertado, fiquei acho q uns 19 minutos la, entao ela queria um 69. Nao gostava de fazer com homens, mas com ela tinha q fazer. Fiquei por cima, e enquanto lambia aquela delicia, enfiava um, dois dedos, chupava seu grelinho, recebia as mesmas caricias dela. Nao aguentava mais tanto tesao, entao enfiei minha cara naquela delicia e chupei com mais força, e soquei um dedo no seu rabinho. Ela gemeu alto e fez o mesmo comigo. Senti meu corpo tremer todo, e o dela tb, e gozei gritando com meu rosto enfiado na sua buceta, e ela gozou socando forte o dedo no meu cu e a cara na minha xana. Ahhh, q delicia... Ela se virou pra mim e ficamos nos beijando com muito amor, muita paixao. Mas nosso tesao nao tinha acabado, entao ela subiu em cima de mim e colocou sua xota na minha boca. Nao me fiz de rogada e chupei lambi, mordi, enfiei a lingua e ela gemia: "Ahhh, como vc faz gostoso, é uma delicia sua lingua, enfia mais me come." Fiz um esforço e lambi seu cuzinho, q piscava pedindo carinho. Abri sua nadegas e fui enfiando ora a lingua, ora um dedinho, fazendo ela se contorcer em cima de mim. Mas antes de gozar, ela se levantou, e foi pegar sua bolsa. Voltou e me deu um beijao de lingua: "Agora, quero q vc me coma de verdade" e tirou um consolo com cinta de dentro da bolsa. Era grande, devia ter uns 20cm, mas nao era muito grosso. Além disso, tinha gel lubrificante e camisinhas. Achei o maximo e disse "vc ja veio com más intençoes, ne vadia?""Claro, vc acha q eu nao ia tentar te conquistar minha delicia. Me apaixonei por vc logo q te vi" Olhei pra ela e a puxei pra mais um beijo de tirar o folego. "Me come agora, to louca de vontade de ser comida por vc..." Vesti entao a cinta, deitei-a no carpete e fui chupar seus peitinhos deliciosos, durinhos, depois desci pra sua xana sedenta e molhadissima. Fiquei pincelando minha lingua la deixando ela doida. Encostei a cabeça na entrada da xota e fui fazendo movimento de entra e sai: "Ai q gostoso, me come vai, mete gostoso q eu quero sentir vc colada em mim, com esse cacete todinho dentro." Fui metendo devagar, curtindo essa sensaçao gostosa de comer uma mulher daquele jeito. Fui mexendo lentamente até q qd faltava um pouco pra entrar tudo, ela me puxou pela bunda e socou tudo dentro dela, dando um gemido no meu ouvido q me deixou arrepiada. Q lindo era ver aquilo entrando e saindo dela, sentindo cada vez mais liso, mais facil de penetrar. Ela me agarrou e ficou me beijando, enquanto eu socava com mais força, inebriada com seu cheiro, aquele cheiro de boceta q exalava no quarto inteiro. Mudamos de posiçao e ela veio por cima, cavalgando enquanto eu apertava seus biquinhos. Ela gozou gemendo alto, apertando forte meus braços, mas nao parava de cavalgar. Mudamos de novo e ela ficou de pé. Apoiou-se de frente pro espelho e empinou aquela bundinha linda, deixando à mostra aquele pacote lindo, aquela bocetinha ja fudida e seu buraquinho piscando. Encaixei a cabecinha do pau, segurei sua cintura e fui enfiando devagarinho ate chegar bem no fundo, ela sentiu uma dorzinha pois levantou a bunda um pouquinho, mas nao reclamou. Eu metia, socava o pau e ela rebolava magnificamente, e eu quase gozava so de olhar, parecia q o pinto era meu, minha xaninha ja tava encharcada. Ela olhava no espelho e falava: "Me come sua vadia, come minha xota, enfia gostoso esse cacete em mim, vc mete muito gostoso, melhor q muito homem por ai" Peguei ela pela cintura e encostei-a no espelho, apertando seus peitos, seus biquinhos, e enfiando o pau ate o talo. Puxava seu cabelo e ela gritava, pedindo mais força, mais fundo. Entao, depois de alguns minutos assim, ela me pede algo muito louco: "Come meu cú, to louquinha pra ser comida por tras" Eu ja tava no embalo, tava topando tudo, entao ela pos camisinha no pau e eu passei gel no seu rabinho, nas pregas, um pouco na cabeça do cacete. Ela ficou de frango assado no sofa, e deixou seu buraquinho a mostra. "Poe com carinho, esse cuzinho é seu, ninguem nunca comeu." Me arrepiei de novo, dei-lhe um beijao e coloquei a pontinha na entrada. Fui enfiando, tirando enfiando tirando, ate passar a cabeça. Qdo foi entrando mais, fui delirando junto com ela, eu tendo aquela visao maravilhosa q obviamente eu nunca tive, do cuzinho se abrindo pra receber o pau. Ela gemia gostoso, nao era de dor, era tesao puro. Qdo entrou tudo, ela me puxou: "Agora sou sua, come sua putinha agora, come, mete gostoso." E me beijou. Sem me separar de sua boca, comecei a meter devagar, e ela gemia, pedia mais. " vc é muito gostosa, é uma delicia te comer, nunca senti tanto tesao. Vc é minha agora." Depois deitei-me no carpete e ela veio por cima. Encaixei o cacete na portinha e ela foi descendo. Hummm, tava cada vez mais doida vendo aquele cuzinho aceitar "meu" pau com tanta vontade. Patrícia cavalgava no consolo, gemendo muito e eu apertava seus seios, depois ergui meu corpo pra chupa-la e beija-la. "Como vc é gostosa, sabia q nao ia me arrepender de vir ate aki." Segurou e apertou meus seios, rebolando bastante ja sentindo o gozo chegar. Eu queria prolongar seu prazer, entao pedi pra ela ficar de 4 no sofá. Ela deu um sorriso sacana, me deu um beijo e se posicionou. Q visao linda, akele cuzinho lindo, recém fodido, um pouco aberto, esperando pra ser comido de novo. Fora de mim, me ajoelhei e lambi de novo aquele rabo, piscando pra mim. "Ahhh, q delicia, vc aprende rapido." Me levantei e encaixei o pau na portinha e fui metendo, vendo suas carnes se afastando pra receber a pica, minha gatinha gemendo a cada centimetro q entrava nela. Minha xota escorria mel, eu estava em extase, quase gozando, qdo segurei sua cintura, enfiando com força, puxei seus cabelos de novo, me senti um macho viril, fodendo gostoso minha amada, sim minha amada, estava cada vez mais apaixonada por aquela ninfeta q se entregava a mim. Ela começou a se contorcer, a rebolar mais e gozou magnificamente, gemia alto, comigo cravada em seu rabo. Senti-a inteira arrepiada, quase chorando de tanto prazer. Ela se ergueu, ajoelhada ainda, me pedindo pra colar meu corpo no seu, e beija-la, com paixao, então pus minha mao em sua xota, q babava, macia, gostosa. Eu estava delirando ainda, nao tinha gozado. Nos nao queriamos tirar o cacete de dentro dela, ela rebolava ainda, como se quisesse mais, muito mais. Ficou de 4 de novo sabendo q se eu continuasse a meter nela, eu gozaria: "Continua, quero sentir vc gozando no meu cuzinho", falou como se eu fosse um macho. E eu ate me sentia assim, pois sentia muito tesao de meter nela. E voltei a meter, lentamente: "Vai, K., me come de novo, goza em mim, goza gostoso, quero ouvir vc gemer..." eu ja tava quase no ponto, entao passei meu dedos na sua xaninha molhada e lambi meus dedos com seu suco, seu mel delicioso, fui ficando mais louca, metendo mais forte, sentia q ela tb tava gostando, se eu aguentasse mais ela gozava de novo. Mas a visao dela, de seu corpo, de seu rabinho, o seu cheiro, o cheiro de sexo q exalava no quarto, a fricçao do consolo no meu grelinho foram denunciando meu gozo. Ela percebeu e se soltou do cacete, tirou a cinta e enfiou a cara na minha xota. Senti espasmos, choques, arrepios percorrendo meu corpo todo, gozei muito com minha amada me lambendo. Minhas pernas bambearam e ela me deitou no sofá. Gemi alto, gritei até, e ela me chupava, secando minha xota q pulsava, mordia a lingua dela. Ela entao subiu seu corpo no meu e nos beijamos apaixonadamente, esfregando nossos corpos, nossos seios, nossas xotas. Q delicia, nossos corpos arrepiados, quentes e suados, nossas linguas avidas, nosso tesao a mil. Ficamos uns bons minutos assim. Nos olhavamos com paixao, eu dava muitos selinhos naquela boca maravilhosa. "Vc quer q eu te coma, meu amor? Acho q vc ta com muito tesao ainda." Beijei-a novamente e disse: "Quero muito, come sua putinha agora..." Ela entao me levantou, beijando-me, me levou ate a mesa, me sentei de pernas bem abertas pra ela, ela pegou o consolo, tirou a camisinha e lambeu a parte de dentro da cinta, onde minha xana ficava encostando, raspando e estava molhada. "Vc é muito gostosa, quero te comer de um jeito q vc nunca vai me esquecer." Nem precisava, jamais me esquecerei daquele fim de tarde, Vestiu a cinta, veio ate mim, me beijando e foi me penetrando, sem nenhuma dificuldade, tamanho meu tesao. Gemia gostoso no seu ouvido, agarrando sua cintura e ela me comia, como nenhum homem jamais fez. Deitou-me na mesa, e chupou meus seios, os biquinhos durissimos, sem parar de foder minha buceta. "Quero sentar no seu pau. Quero cavalgar com vc" Fomos para o sofa de novo, ela sentou e eu sentei em cima dela, sentindo o cacete me penetrar por inteira, rebolei muito, sem descolar nossas bocas, gemendo muito. Ela agarrava minha bunda e enfiava um dedinho no meu cu. Tava bom demais. Fiquei de 4 e ela me fodia com um macho, queria muito senti-la nessa posiçao, queria q ela me comesse por completo, enfiasse ate o fundo, me puxava pela cintura, puxava meu cabelo: "Me come, me fode, vem meu macho, fode sua putinha, me faz gozar..." Ela ergueu meu corpo, colando-o ao seu, me beijando muito, nossas linguas se procuravam avidamente, ela apertava meus seios: "Ahhh, ta delicioso, vou gozar, nao aguento mais..." E gozei fartamente, rebolava na sua pica, gemia alto, e ela nao parava de meter. Cai no sofa, com ela dentro de mim ainda, enfiando lentamente, so prolongando meu orgasmo. Deitamos e fizemos um 69, onde eu chupava sua pica molhada com meu mel e ela minha boceta encharcada. Enquanto mamava o cacete, ficava circundando seu anelzinho com o dedo. Ela disse "Já entendi o q vc quer, meu amor. Vou te foder inteirinha hoje." Repetiu todo o ritual de antes e me colocou de frango assado, pernas abertas, e roçou a cabeça na portinha. "Faz um carinho antes, sou virgem ai ainda." entao ela desceu sua lingua pra me presentear com seus carinhos, q me deixaram mole e pronta pra ser fodida de novo. "Come meu cuzinho, vai, ele é so seu, vc vai ser a primeira." Ela me beijou entao foi enfiando devagarinho, tirando enfiando tirando enfiando ate entrar a cabeça, senti uma dorzinha, mas gostei, depois parou e foi enfiando o resto bem lentamente. Senti outra dor, mas o prazer era muito maior, entao ela chegou até o talo. Parou, me beijou de novo e ficou com a boca colada na minha, enquanto começava o vai e vem. Meus gemidos eram abafados por sua boca, e ela começou a meter mais rapido, sentia uma dor gostosa, uma sensaçao unica, nada parecido com q ja aconteceu comigo. "Vem ca senta em cima, vc vai sentir ele inteiro dentro do seu rabinho." Fui pra cima dela e encaixei o pau na portinha. Fui abaixando devagar, lentamente e nao sentia mais dor, so prazer, ate encostar minha xota molhada na sua virilha. Beijei-a e fiquei cavalgando seu cacete, rebolando. "Q delicia, seu cacete é muito gostoso, vc mete muito bem Patrícia, me come, mete fundo em mim, quero sentir toda a sua paixao..." Ela colou sua boca na minha e me pegou pela cintura, forçando meu quadril pra meter mais fundo akele pau. "Agora quero de 4. Me come amor, quero gozar de novo""Vou te comer gostoso meu amorzinho, quero sentir vc apertar esse cacete com seu rabinho, quero ver vc gozando." Fiquei de 4 e ela meteu forte, numa estocada so, senti dor, mas fui recompensada com seus carinhos na minha bucetinha, logo a dor passou, entao ja estava rebolando pra ela, jogando minha bunda de encontro a ela. Ergui meu corpo, ela pegou meus seios, me deu sua lingua pra eu chupar, metia forte em mim, eu ja via estrela de tanto tesao, entao disse a ela: "Vai mete gostoso e goza comigo." Ela ficou doida, deu uma estocada, eu gemi: "Me come, vem goza comigo, quero vc junto." "Vc é muito puta, muito sacana, gostosa demais, te amo muito minha vadia deliciosa." E me segurou forte pela cintura, mas foi metendo lentamente, acelerando aos poucos, eu ja delirava, entao rebolei muito, e ela ficou com mais tesao ainda e dizia: "Vem meu amor, vou gozar, nunca senti nada tao bom, gozar comendo seu cuzinho gostoso, fodendo vc minha putinha" "Isso, vem goza junto, to gozando tb, continua, nao para nao..." Hummmmm, gozamos juntas, ela gemia alto, eu tb, e socou fundo o cacete em mim, puxou a cinta de lado e esfregou sua xota na minha, isso me deu mais tesao e gozei mais ainda com o cacete dela enterrado em mim. Nos beijamos muito e ela tirou o pau de mim, pra eu deitar, e veio por cima, colocando ele de novo no meu cu. Naquela hora eu senti pq ela tb nao queria tirar de dentro dela depois q ela gozou. Ficou metendo lentamente enquanto me beijava, ate eu gozar de novo. Tirou o cacete de mim e virou-se pra outro 69, nos limpando totalmente. Eram 8 da noite, entao tinhamos q ir embora, a chuva tava passando, entao dava tempo de brincar mais um pouco. Fomos para o chuveiro e nos amamos mais ainda. Ela se apoiou na parede e fiquei ajoelhada por tras lambendo toda aquela delicia de xota e seu rabinho tb. Ela tb fez o mesmo e gozamos muito. Fomos nos vestir e ir embora, mas ela queria me comer de novo, e eu deixei ne, queria tb. Foi na mesa, nos beijando muito, eu abraçada nela, sentindo sua metidas na minha buceta. Eu a comi de 4, fodendo muito seu rabinho apertado, ela ama qdo como seu cuzinho, q ela diz q é sá meu. Gozamos novamente e nos beijamos muito, trocando palavras de carinho e paixao, estavamos apaixonadas uma pela outra, mas era com muito tesao, entao nao mudava nossa vida. Continuavamos com nossos namorados normalmente. Fechei a loja e entao fomos embora. Já tinha marcado a prova de seu vestido, entao ja ficavamos imaginando o q iria acontecer. mas com certeza nao ia acontecer so lá... Beijos a vc todos q tiveram paciencia com meu conto. Vou contar mais coisas q aconteceram entre nos e tb mais uma amiga deliciosa dela. Se gostaram por favor, votem. Beijos a todos q leram. Tchau.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Comi.a cunhada na marra contoscontos dos podolatrascontos eroticos para sua rola ta arrebentando meu cufotos de priguitinhas lindasviciadopor bundas super rabudasxoxotao capusaocaralho meu empurra tudo nu meu cuzinhoContos erotico minha tia coroa gostuma anda nua em casacontos titioKl contis eroticos com pastor da a minha igreja8 contos eróticos e******** por vários homemContos de idosas loiras com mais de 70 anos dando cu para negros bem dotadoscontos de incesto cumadre dificilMeu padrinho negão dotado fudeu minha cona e cu. Conto erotico heterossexual. incesto. travesti do pau vermelho cabeça g****** jato sexocontos batendo punheta no garotinhocontos eroticos pirralho fudendo a casadapai é gostoso contos eroticosesposa gemendo tentando escappar da geba no cucontos eroticos arrombando a gordachantagem minha irmã e como o cú delssou uma coroa e sem querer dei po borracheiro contos eroticoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos/ morena com rabo fogosocontos eroticos comendo a coroa virgem de saiacontos eroticos gay com menininhos infanciacontos eroticos pedio para mamar nos meus seios cheios de leite materno.cu ardidoconto erótico de gay dando o cuzinho pro primo aos dez anosChaves enfia o dedo no cu da chikinhaexibir vídeo de Chaves comendo Chiquinha empurrando o pau na b******** delaContos eroticos seios mautradoscoroa da bunda gigante conto eroticoconto erótico nifetinha estrupadacontos eróticos dupla penetraçãocontos eroticos teens eu baixinha i peituda com meu tio no carrocontos da casa eroticos de mulheres tendos os cachorros ou lobos lambendo suas calcinhas e fodendo elascontoseroticos/pauzudocasadacontos safados professoras e diretoras transam com alunoscontos eróticos locador com comeu a inquilinaContos tomando porracontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentemacho subjugado a chupar buceacontos eroticos arrombando a gordaeu minha mulher e meu sogro contosconto erótico de homens que tiveram experiência com alguns homensContos: namorada safadacontos abusada pelo cachorrocomtos de incesto com subrinha bebada depos da balada no carrotravesti Francielleconto erotico arrombei o travesti do baile funkarrombando a enteada contos eroticoscontos eroticos casada com cunhadomeu filho me estrupou eu me tornei sua fêmea sexo incesto contos vídeoscoki a amiga da esposa contos marido de pau pequenocontos eróticos de casadas rabudas traindo seuminha mulher se exibiu pra váriosconto erotico de coroacontos eroticos gay papai e eumulher nua e corpo inteiro melado de margarinaConto erotico de sexo incesto cheiro da buceta suada da irmaContos eroticos de esposa é abusada pela empregada coroaContos eroticos minha esposa rabudacontos eroticos irmão arrependidocontos eróticos com esposa contando suas putariasComtos mae e filha fodidas pelo empregado do maridocomtos eroticos mania bem novinha pelada Travest contosminha namorada apertando meu pau com a sua bucetasou crente eu e ninha esposa e tenho uma fetiche de tansar transar com outro homemContos eróticos bizarroscontos eroticos a bunda gostosa da minha cunhadacontos eróticos sogra pega mulher metendo na camaContos eroticos dei a minha buceta para negroconto erotico casada com dupla penetraçãoo virgem comi uma egua preta contoContos erotico mandei meu filho me depilarcontos menina do papaicontos eroticos arrombando a gordacontos sexo família sem pudorconto erotico da desvirginadacontos comendo o cu da namoradaMeu tio que chupa no meu peniscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteFilha babando pau do pai contoseroticos