Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

EU E MEU MENINÃO EM BONITO-MS (COMPLETO)





Sou viúva há três anos, quando ocorreu o acidente de carro que vitimou meu marido eu tinha 30 anos e meu filho 12, devido a este fato ficamos muito unidos e para melhor educar meu filho eu me dediquei o máximo a ele, me esquecendo até das minhas necessidades como mulher. Mas um fato veio ocorrer dias atrás que mudou toda esta situação, eu e meu filho, Lucas, viajamos para Bonito, em Mato Grosso do Sul, estava tudo certo, tinha reservado dois quartos no hotel, porém quando chegamos constatei que a reserva tinha sido feita apenas para um dos quartos, e não havia mais quartos vagos, tendo em vista a grande quantidade de turistas na cidade. Desta forma, resolvemos ficar os dois neste quarto, pois na realidade passaríamos pouco tempo no hotel, pois a cidade é linda e tínhamos diversos lugares para visitar, lagoas, grutas e o práprio rio que tem uma das faunas mais lindas deste Brasil. Dormimos a primeira noite tranquilos, pois esperávamos um grande dia seguinte. No dia seguinte nos divertimos muito mergulhando, meu filho tirou muito saro em mim, devido à roupa de mergulho salientar bem a minha bunda, que para ser franca e muito durinha e redondinha, pois me dedico na malhação para que ela permaneça assim. Como Já disse, nos divertimos muito mergulhando, porém ao chegarmos no hotel estávamos muito cansados, resolvi comprar um lanche para que fizéssemos antes de dormir, quando voltei meu filho não estava no quarto, achei que ele estivesse saído para telefonar para a namorada, resolvi então tomar uma hidromassagem enquanto esperava ele voltar, me despi e entrei no banheiro, mas ao entrar dei de cara com meu filho já na hidro, espantei-me, pois não tínhamos muitas intimidades de andarmos nus na frente do outro, mas ele me acalmou dizendo que já estava saindo, mas eu disse que se ele não se importasse e tomaria banho com ele, o que sem malícia ele permitiu. Durante o banho lembrei-me dele tirando saro da minha bunda e perguntei a ele se a roupa de mergulho a deixava mais feia e ele disse que pessoalmente ela era mais gostosa, me empolguei, mas o que me empolgou realmente fato dele tecer outro comentário depois, acho que ele estava esperando a deixa para perguntar e como eu dei liberdade ele assim o fez, ele me disse que nunca tinha visto uma vagina depilada como a minha, pois as suas namoradinhas não usam se depilar, e que a minha era a mais bonita que ele tinha visto, nisto eu fiquei vermelha, mas percebi que não houve malícia em seu comentário, porém quanto a mim a malícia estava rolando a mil, pois ao reparar o tamanho da ferramenta no meu meninão fiquei louca, terminamos o banho lanchamos e fomos dormir, mas quem disse que aquele pinto saía da minha cabeça, apás receber aquele elogio do meu filho, mesmo que percebendo que não houve malícia, fiquei excitadíssima, não conseguia mais tirar a imagem do meu filho nu de minha cabeça. Como dormíamos na mesma cama de hotel, fiquei a noite toda sentindo o calor de seu corpo grudado ao meu, coisa que já não sentia há muito tempo, três anos, mas mesmo com tantos pensamentos rondando a minha cabeça consegui dormir, acordei no outro dia com o barulho do chuveiro, meu filho tinha acordado primeiro e já tomava seu banho, já com más intenções e com a desculpa de escovar os dentes entrei no banheiro e comecei a observar o corpo atlético do meu menino, que melhor reparando tinha virado um homem muito sensual, não podia perder aquela oportunidade e comentei “filho, você deve estar fazendo muitas mulheres felizes”, o que de pronto ele perguntou porquê, e é claro respondi com todo espírito maternal, a filho sá uma mulher sabe o que no homem as atrai e sendo assim posso lhe afirmar que você tem tudo para fazer uma mulher feliz. Passando este momento voltamos a fazer o nosso turismo em Bonito-MS, fomos a tão conhecida gruta do lago azul, que é um lugar lindo que nos trás bons fluidos e onde tudo que é bom em nossa vida vem em nossa memária criando uma atmosfera paradisíaca, no período da tarde fomos fazer um rapel em um costão, tudo parecia se encaminhar para uma noite tranquila, pois estávamos muito cansados, aqueles pensamentos lascivos já haviam abandonado os meus pensamentos. Quando voltamos ao hotel meu filho foi logo entrando no quarto eu fui atrás de um lanche e logo apás fui para nosso quarto, chegando lá meu filho já estava no banho e do banheiro me perguntou porque eu havia demorado, o que eu respondi que havia ido buscar um lanche e ele perguntou se eu não iria tomar banho, onde respondi que tão logo ele saísse do chuveiro eu iria, mas ele respondeu que não estava no chuveiro e sim na hidro e ainda que se eu quisesse eu poderia tomar banho com ele, pois se não ele teria que me esperar tomar banho para lanchar comigo, pensei bem e respondi que não era legal, pois agente nunca tinha tido aquele tipo de intimidades até então (claro que estava fazendo charminho), mas ele me disse que o fato dele ter me visto nua na noite anterior não havia mudado nada entre nás e que para ele aquilo era natural, com um pedido desta forma é claro que eu não podia recusar. Entrei no banheiro e notei que ele me media de alto a baixo, olhando principalmente para minha vagina, que como já relatei anteriormente foi alvo de elogio por parte dele, entrei na água e ele falou sarcasticamente “que problema a senhora vê nisto” e claro fiquei vermelha, mas respondi que era por causa do costume, mas ele disse que achava que era porque ele tinha reparado que minha vagina era depilada e que era a mais bonita que ele tinha visto, mas eu disse que não era por isso e comecei a me relaxar com a hidro, mas o garoto realmente estava a fim de me provocar, ele me perguntou por que eu achava que ele tinha tudo para fazer uma mulher feliz, no que eu respondi que era por que ele era bonito, tinha um corpo bem talhado e além de tudo tinha a ferramenta do tamanho ideal, ou seja, cumprida mais não tão grossa, aí ele me disse que achava que as mulheres gostavam de um pênis grande e grosso, fiquei meio encabulada mais disse que para algumas posições um pênis grosso não é bom e que o pênis grosso machuca muito a mulher, e que não é isso que as mulheres querem, mas sim elas querem sentir prazer. O garoto não estava mesmo a fim de me deixar tranquila, pois logo apás a minha explicação ele fez a seguinte exclamação: Â“É mãe, a senhora tem muito que me ensinar”, apás isso eu fiquei me perguntando o por que ele havia falado aquilo, mas novamente fui indagada por ele,...Mãe como a senhora faz para se depilar deste jeito, aí foi a minha vez de interrogar...Por quê, você quer ensinar sua namorada, mas ele me respondeu algo que me deixou novamente disposta a ousar, ele disse que tinha terminado com a namorada e que o que ele tinha me dito na noite anterior era mentira, pois na realidade ele tinha terminado com a namorada por que ela não queria dar para ele, mas ele estava perguntando era por que ele queria se depilar e tinha medo de ferir o seu saco com a gilete, notei que ele enquanto falava comigo estava com o pinto duro, e que pinto. Apás ele me relatar isso rolou um silêncio, mas logo interrompi dizendo que realmente ele deveria tomar muito cuidado quando fosse se depilar, pois era realmente possível ele se ferir, porém o moleque me surpreendeu com o seguinte dizer, pôxa mãe a senhora podia me ajudar, mas meio titubeante eu lhe perguntei como, e ele me pediu para ensina-lo, aí eu comecei a lhe dizer como ele faria, porém ele me disse para ensina-lo na prática, e ainda fez a seguinte exclamação desafiadora, “ou a senhora vê algo errado nisso”, pensei e respondi que não via nada de mau, mas eu não havia levado gilete, porém ele nem deixou eu terminar de falar e disse que tinha levado e já se levantou e foi pegar, percebi então que meu menino estava com más intenções. Quando ele voltou para o banheiro notei que ele não estava mais com o pênis ereto, achei então que era eu que estava maliciando toda aquela situação, com lâmina ele também trouxe um tubo de espuma de barbear, sentou-se na beira da banheira em minha frente e me intimou a lhe ensinar, me aproximei, peguei a espuma, passei em volta do seu pênis e no seu saco e comecei a lhe depilar, porém ao olhar para seu rosto ele embolsava prazer em sua face, e seu pênis começou a endurecer, momento em que eu brinquei com ele lhe perguntando o por que de tudo aquilo, e ele me respondeu que seu pênis esta naquele estado era por causa da espuma de barbear que era mentolada, porém quando eu estava terminando de lhe depilar ele ejaculou no meu rosto, coitado ficou tão sem graça, que tive que brincar com ele para que ele voltasse a si, pois ele ficou paralisado, sendo assim eu disse e essa porra toda é por causa do creme de barbear também, ele me pediu desculpas, mas mesmo assim estava tão sem graça que resolvi ousar um pouco mais, dizendo para ele não se preocupar que eu tinha adorado, pois fazia tanto tempo que não sentia um gosto de porra que já estava até esquecendo, ele então me perguntou se eu gostava do gosto, e eu disse que sim, ele então me disse que sua ex-namorada tinha nojo e por isso não tinha feito nem sexo oral com ele, no que de pronto eu respondi, “ela não sabe o que esta perdendo”, e ele me perguntou se era tão bom assim, pois quando ele assistia filmes eráticos em que as atrizes faziam oral ele ficava doido para experimentar, aí eu lhe perguntei por que ele estava me falando tudo aquilo, foi aí que ele me disse que na realidade ele gozou pensando em mim, e lhe indaguei, o que ele estava pensando, e ele me disse que imagina eu fazendo um oral nele, aí chegou no ponto que eu queria, eu lhe falei que mataria sua vontade se ficasse sá entre a gente e que não passasse daquilo, e ele com cara de safado me respondeu que sim, então eu comecei a alisar aquele pênis que eu desejava tanto e ele com uma cara de prazer intenso, não aguentei muito tempo e caí de boca, a cada movimento da minha boca a lhe tocar ele gemia como se o mundo fosse se acabar ali, caprichei tanto naquela “gulosa” que me senti como uma profissional, fiquei quase uns cinco minutos chupando aquele pinto gostoso, ora revezando naquele saco depiladinho, ora naquele pinto maravilhoso, chupava como se fosse a ultima vez que faria aquilo, como criança se deliciando no doce, chegava até seu cuzinho e chupava, meu garoto me avisou que gozaria, não dei a mínima importância e continue a chupar, até que ele gozou em minha boca, sorvi tudo, lambi não deixando resíduo algum, mas o que me deu o maior prazer foi olhar em seu rostinho e ver aquela expressão de prazer acompanhada da seguinte frase, “é mãe parece que a senhora gosta mesmo de porra”, terminamos nosso banho, sempre com a recomendação de que acabaria ali e que ninguém além de nás saberia, lanchamos e fomos dormir, o que se tornou algo difícil, pois com aquela pica fenomenal ali ao meu alcance eu sá pensava em me entregar logo ao meu menino, mas eu queria que ele sentisse que estava me conquistando, que ele tomasse a iniciativa e assim dormi com uma vontade louca de dar para o meu meninão. Acordei naquela noite com meu filho abraçado em mim, senti que seu pênis estava duro igual a uma pedra encostado em minha bunda, olhei para ver se meu menino estava acordado, mas ao invés disto ele dormia profundamente, pensei bem e resolvi aproveitar a situação, coloquei a minha a calcinha de lado, liberei a bermuda de meu filho e coloquei seu pinto no meio da minha vagina, fiquei sentido a pulsação daquela vara a esfregar minha grutinha, era a primeira vez depois da morte de meu marido que um pinto tocava naquele lugar, dormi assim, sentindo aquele pinto. Na manhã seguinte, para atrapalhar nosso turismo amanheceu chovendo muito forte, mal saímos para tomar o café no restaurante do hotel e voltamos para o quarto, neste período eu ficava a imaginar o que meu filho havia pensado quando acordou vendo que seu pênis estava fora da bermuda e tocando-me, mas como ia dizendo fomos para o quarto e ficamos conversando, porém mais uma vez o garoto queria me atiçar, pois estávamos conversando sobre outro assunto quando ele me perguntou o que um homem deveria fazer para retribuir a uma sensação tão deliciosa como aquela que houvera entre nos na noite passada, eu pensei bem e resolvi deixar o meu menino maluco, disse para ele que a mulher ficaria esperando um prazer à altura, e que prazer seria este, perguntou ele, e eu respondi que ela adoraria receber em troca também um oral, mas mãe qual o melhor lugar da vagina para que o homem chupe e a mulher sinta maior prazer, eu não sei se ele realmente não sabia nada de sexo, ou se estava me provocando, mas mesmo assim eu respondi que dependendo da habilidade do parceiro ela sentiria prazer em quase toda vagina, mas no clitáris ela sentia mais, pois é, vocês não vão acreditar, mas ele me perguntou o que era o clitáris, eu respondi que ele era parecido com um pênis pequeno, que durante a relação a ser tocado ele dava muito prazer para a mulher, mais a ousadia aumentou mais ainda, ele perguntou se eu poderia mostrar-lhe o meu clitáris, mas eu disse para ele que não, e perguntei-lhe se ele não achava que estava indo longe demais, mas ele me respondeu que não teria nada de mais, pois já me havia visto nua no banho, mas eu lhe disse que no banho é outra coisa, pois estávamos nus, mas assim eu não achava certo, e o moleque me disse: “então vamos tomar banho”, eu lhe perguntei se ele não achava que estava errado o que ele me pedia, mas ele disse que não, então eu lhe disse que lhe mostraria, mas não passaria disso, e ele mais que contente sorriu, parecia que tinha ganhado um premio, eu me deitei na cama, tirei a roupa toda e disse que ele poderia me tocar onde quisesse, mas que não passaria de toque. Ele veio com cautela, passou a mão em meu rosto, nos meus seios, que a esta altura estavam rígidos de tesão, pousou a mão sobre o monte de vênus e aí tomou coragem e colocou-se no meio das minhas pernas, passou a mão no interior da minha coxa, fiquei toda arrepiada, aí ele pediu para que eu lhe mostrasse o clitáris, no que eu abri as pernas e escancarei minha vagina em sua frente, seus olhos brilhavam, abri os grandes lábios e lhe mostrei o objeto de seu desejo, ele beliscou meu clitáris com tanta delicadeza eu soltei um grande suspiro, ele então me perguntou se havia doido, mas eu lhe respondi que a sensação não era de dor e sim de tesão e então introduziu seu dedo na minha gruta que neste momento já estava toda molhadinha, mas eu lhe repreendi, dizendo que era sá para ele me tocar, ele pediu desculpas e voltou a tocar o meu clitáris, eu levantei um pouco a cintura para facilitar sua exploração, foi neste momento que senti sua língua tocando me minha vagina, estava com tanto tesão que me entreguei ao prazer, meu garoto me chupava, lambia todo mel do meu corpo, introduzia sua língua na minha grutinha, que neste ponto queria era ser introduzida por outra coisa, ele me perguntou se estava fazendo certo, no meu estado de tesão e doideira eu lhe pedir para não parar, ele continuou, mas agora dava mais atenção ao meu clitáris, não demorou muito e eu enchi sua boca com o meu gozo, o que lhe causou espanto, pois ele não sabia que mulher gozava daquela forma. Decidi que iria tomar uma hidro para esfriar a cabeça, entrei na banheira, mas não demorou muito e o meu menino veio atrás, já completamente nu e com aquele pênis maravilhoso duro que nem pedra, eu lhe perguntei o que ele queria, no que ele me respondeu que somente me acompanhar, estávamos relaxando quando ele me pediu para ver meu clitáris mais uma vez, eu lhe disse que já tínhamos ido muito longe, que deveríamos tomar nosso banho logo para irmos almoçar, e a chuva não parava, e me disse que eu tinha deixado ele me tocar eu então disse que então ele poderia, mas novamente o adverti que era sá para tocar, me coloque de quatro na beira da banheira e senti novamente sua língua tocar em minha vagina, o tesão era tanto que o chamei para sair da banheira e deitarmos no chão do banheiro, ele se deitou e eu sentei em cima de sua cara, deixando toda a minha vagina a sua disposição, ele dedicou-se ao Maximo para me dar prazer e eu não podendo mais resistir abocanhei seu pênis fazendo um meia nove, nás suávamos feito animais no cio, chupávamos um ao outro com tanta avidez, praticamente chegamos ao orgasmo juntos, ele tomou o meu mel e eu engoli toda a porra que saiu daquele delicioso pinto, nos abraçamos e fomos tomar um banho, onde ele me ensaboou todinha e eu a ele, saímos cheirosos, eu me sentia como se estivesse remoçado um dez anos, nos vestimos e fomos almoçar, mas já não era como antes, havia uma cumplicidade entre nás dois. Os fatos que ocorreram entre nos haviam nos deixados cúmplices um do outro, fomos almoçar naquele dia no restaurante do hotel, pois como já havia relatado chovia muito em bonito naquele dia, sentamos em uma mesa que se localizava em um canto do restaurante, que por sinal estava muito cheio, nos servimos e almoçamos, ficamos conversando enquanto bebíamos vinho, acho que bebi um pouco mais da conta e resolvi voltar ao apartamento, tendo em vista a chuva nos impedir de passear pela cidade. Ao chegar no quarto fui logo deitando na cama, pois o somatário de vinho, chuva, sá poderia dar sono, como fazia muito calor e o vinho também esquenta a gente, retirei o jeans que vestia e fiquei sá de camiseta e calcinha na cama, meu filho também tirou a calça e a camiseta e deitou ao meu lado sá de sunga, até ai tudo bem. Adormeci e quando acordei meu filho estava se masturbando olhando para mim, eu lhe perguntei se ele não estava satisfeito, pois não fazia três horas que eu o havia feito gozar, mas ele me disse que o tesão era tanto que ele não aguentou, perguntou se eu podia faze-lo gozar novamente eu lhe disse que nás já havíamos ido longe demais para uma mãe e um filho, ele me disse que o que havia ocorrido entre nás foi tão bom que ele duvidava que uma mãe amasse um filho mais do que eu o amava, pois eu sabia como ele se sentia e o satisfiz em sua curiosidade, mas eu lhe perguntei se ele não achava errado, ele me disse que errado seria eu deixa-lo procurar aprender as coisas com pessoas erradas. Desta forma eu lhe perguntei onde ele queria chegar, como se não fosse no mesmo lugar que eu queria, ele me disse que quem poria o limite seria eu, que ele queria apenas aprender para aí realmente fazer as mulheres felizes como eu havia lhe dito, dito isso, eu pedi para ele tirar a minha calcinha, ele veio e com toda delicadeza me despiu, além da calcinha ele tirou também a minha camiseta, deitou-se ao meu lado e perguntou o que eu iria ensina-lo agora, eu lhe disse que dependeria dele, que se ele demonstrasse que aprendeu as lições passadas eu lhe ensinaria novas lições de como dar prazer a uma mulher, tudo dependia do prazer que ele me proporcionasse, nisso ele me perguntou se também poderia ficar nu eu lhe disse que sim, então ele me surpreendeu, ele me pediu para que eu retirasse a sua sunga, momento em que sentei na cama e ele ficou em pé em minha frente, seu pênis parecia realmente um pau de tão duro, comecei a baixar sua sunga e aquela rocha saltou para fora, terminei de retirar sua sunga, dei um beijinho naquele pênis cheiroso e falei que estava esperando, ele novamente me surpreendeu, quando veio mansamente afagou o meu rosto e me deu um delicioso beijo na boca, mordeu os meus lábios, colocou sua língua dentro da minha boca, não me fiz de rogada e chupei deliciosamente sua língua, que beijo foi aquele, fiquei mole, se havia alguma resistência ela acabou ali, ele beijou meu pescoço afagou meus seios e mamou, mamou como nunca havia mamado antes, nem quando tinha fome quando bebê mamava daquela forma, começou a fazer movimentos circulares com sua língua em volta dos meus mamilos, aquilo me levou ao céu, desceu mais até chegar ao umbigo, enfiou sua língua ali e salivou, enchendo meu umbigo com sua saliva, entro no meio das minhas pernas, lambeu o interior da minha coxa, a minha virilha, já estava toda arrepiada que quando ele tocou com a língua em meu clitáris foi como se tivesse recebido um descarga elétrica, tremi, seu rosto se transformou, seu corpo transpirava como nunca tinha visto, exalando cheiro de macho, aquela atmosfera de cumplicidade e prazer me fazia delirar, ele chupava avidamente a minha vagina, lambia, invadia com sua língua áspera, percorria toda extensão da minha vagina, penetrava em minha grutinha com sua língua que parecia um pequeno pênis, de tanto prazer que me proporcionava, sugava-me me deixando em estado de êxtase, gozei como nunca, pois o prazer era indescritível, era um misto do proibido com o inimaginável, do prazer e da loucura, não era apenas sexo, mas sim era algo mágico, ele começou a subir entre as minhas pernas, fazia caricias no meu ventre novamente abocanhou os meus seios, beijou meu pescoço e retornou até a minha boca, beijava-me com tanta volúpia que homem jamais havia me beijado desta forma, ser pênis como rocha roçava o meu corpo me fazendo a cada momento desejar ser penetrada, ele se colocou em cima de mim com seu corpo forte, mas ainda me restava um joguinho, eu lhe disse que ele não poderia me penetrar, meio decepcionado ele aceitou a condição me perguntando se ele não tinha feito bem as lições anteriores, no que eu disse que sim, mas como ele havia me dito quem poria os limites seria eu e ele aceitou, colocou seu membro duro que nem pedra no meio dos meus lábios vaginais, fechei as pernas prendendo seu membro e ele com estocadas fortes me fazia delirar de prazer, gozei mais uma vez, ele com movimentos de quadris fortes me mostrava que eu adoraria ser fudida por aquele macho viril, ele gozou urrando entre minhas pernas e caiu para o lado cansado, eu então coloquei seu membro em minha boca, sugava, lambia, sentia todo o sabor daquela porra, me sentia a mulher mais feliz do mundo, pois estava fazendo feliz a pessoa que mais eu me importava, o meu filho, não demorou muito ele aquele pinto gostoso estava novamente ereto, apontado para o teto, salivei sobre ele e me dirigi à boca do meu garoto, beijei gostoso, invadi sua boca com minha língua, que reciprocamente com toda a maciez retribuía o meu carinho, passei uma perna sobre o seu corpo e esfreguei minha vagina no seu rosto, peito e barriga, espalhado meu cheiro de mulher naquele homem, como se estivesse demarcando a minha propriedade, coloquei seu pênis na entrada da minha grutinha e deixei deslizar para dentro, meus músculos vaginais se comprimiam me fazendo sentir toda extensão daquela vara, que prazer que eu sentia, afinal já faziam mais de três anos que não sentia aquela sensação, ou melhor nunca na vida havia sentido sensação igual, pois aquela foi a melhor foda da minha vida, o rosto do meu filho nesta hora transmitiu prazer, desejo e alegria, em cavalgava como uma louca sobre ele e gemia como se estivesse sendo rasgada ao meio, como gata no cio, ele afagava meus seios e eu delirava, gozamos juntos, neste momento deitei sobre seu corpo sem tirar seu membro de dentro, fui sentido seu membro encolher e nossos gozos misturados escorrer da minha vagina, nos beijamos, deitei ao seu lado ele me abraçou por trás e dormimos. Apás aquela tarde de amor, adormeci com meu filho abraçado em mim, não demorou duas horas eu fui acordada por ele a beijar minhas costas, quando ele percebeu que eu acordei ele colocou-se ao meu lado e introduziu seu pênis em minha grutinha que já estava ardida pela falta de costume, pois já se faziam mais de três anos que eu não sabia o que era um homem, e apás tanto tempo encontrar em meu práprio filho um amante tão viril, mas como eu ia dizendo ele introduziu seu pênis de uma forma tão carinhosa que minha única reação foi abrir mais as minhas pernas colocando um sobre as suas e arrebitar a bunda para novamente me deixar levar pelo prazer de ser objeto de aprendizagem do meu garoto, mal sabia ele que eu precisava mais daquilo do que ele, ele bombava com tanta ferocidade que meus gemidos passaram a ser berros e urros de prazer, não demorou muito e eu estava sendo invadida por uma torrente de porra que entrou queimando meu interior, gozei muito, meu filho retirou sua tão maravilhosa ferramenta do meu interior nos beijamos como amantes que dali para frente passamos a ser, nos levantamos e fomos relaxar na hidro, mas no caminho do banheiro meu filho me pressionou contra a parede e me introduziu por trás, fodia como se fosse a única coisa que soubesse fazer, gozou novamente, eu me agachei e deixei sua porra escorrer do meu interior enquanto eu chupava seu pênis, limpei o bichão, tomamos uma hidro, sendo que agora foi diferente, pois meu filho entrou na banheira e eu entrei no meio de suas pernas ficando de costas para ele, sentido seu pinto amolecido em minha bunda, ele me abraçou, mordeu minha nuca e afagou meus seios, senti que dali para frente eu teria um homem em casa para me dar prazer. Saímos do banheiro nos trocamos e fomos jantar no hotel, POUSADA DAS ÁGUAS DE BONITO, durante o jantar punhetei deliciosamente o meu menino por debaixo da mesa, ele sabia que agora aquele brinquedo era meu, e me disse vai preparando ele, pois quando formos para o quarto a senhora tem ainda muito que me ensinar, jantamos e voltamos para o quarto, eu é lágico seria jantada, meu filho mal esperou que entrasse levantou minha saia me colocou de quarto na cama e me fodeu gostoso, delirei, ele me comia e me falava é mãe sua bunda é muito mais bonita pessoalmente e dava tapas, eu adorava aquilo e pedia para ele bater mais, ele batia e bombava me levando aos céus, pedi para mudar de posição e lhe propus a posição do frango assado, ele adorou me ver escancarada esperando para ser fodida, eu nunca na minha vida tinha transado num sá dia, bati meu Record, no momento em que me fodia meu filho me perguntou para qual posição que eu lhe havia dito que seu pinto era o ideal, no que eu lhe disse que mais tarde eu lhe mostraria, tive tantos orgasmos naquele dia que perdi a conta, mas o melhor ainda estava por vim, tomamos um novo banho e fomos assistir televisão, já eram 21:00 horas meu filho me disse que queria aproveitar toda aquela noite, pois seria a ultima nossa em bonito, e que ele não sabia se quando voltássemos para casa nossa ralação continuaria tão aberta daquela forma, mas eu lhe disse que para continuarmos nos relacionando daquela forma sá dependia dela, pois deveríamos guardar segredo, visto que socialmente aquela conduta não é aceita e se outras pessoas ficassem sabendo do nosso relacionamento achariam que eu era uma pessoa liberal, libertina e que não o respeitava, mas ele me disse que não contaria a ninguém e que o único problema que ele via quando chegássemos seria o de que ele não dormiria mais em seu quarto, mas sim no meu, pois dali para frente eu seria o seu macho, o seu homem, eu disse que tudo bem. E que realmente deveríamos aproveitar ao máximo aquela noite, pois este final de semana seria como uma “lua de mel” para nos dois. Eu pedi que ele fosse buscar um lanche para nás e quando ele voltou ao quarto eu estava nua a esperar para lhe mostrar o porquê que eu gostava tanto do formato do seu pênis, eu o despi coloquei-o deitado na cama e calmamente introduzi seu pênis em meu ânus, ele me disse que realmente eu era uma biscate, mas uma biscate particular, sá dele, apás a musculatura do meu ânus relaxar, sai de cima dele e me coloquei de quatro em sua frente ele mais que depressa veio até mim e foi introduzindo do pênis em me anus ele aprendia rápido, segurou em meu quadril em socou tudo para dentro, ao som do seu saco batendo em minha vagina e dos meus gemidos nosso desejo foi consumado e daquele momento em diante ele sabia porquê eu havia lhe dito que ele tinha o pênis do tamanho ideal para satisfazer uma mulher, gozamos muito aquela noite e sabíamos que sentiríamos muitas saudades daqueles momentos, mas sempre iríamos realizar nossos desejos em cumplicidade, na manhã seguinte deixamos bonito, um lugar lindo, paradisíaco, porém a sua lembrança foi ofuscada pelo prazer que foi me proporcionado por um amante que crio em minha casa...O meu filho. Hoje vivemos como um casal, é claro dentro da nossa casa, pois todos sabem que somos mãe e filho, a sociedade nunca aceitaria nosso relacionamento.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cão juntas analcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentevelhos cafetao fudendo casadavi ele comer ela/contocomi minha amiga crentecontos sobrinha menor banhoconto gay aloprado gostoso virei putacontos de esposa dando pro cunhadoconto erótico filhinha orgiaa gostosa d aobrinha pertubando o tio kovem no quarto cheio d teaaocontos eroticos motoqueiros violentam mulhereu e minha mulher somos moreno meu filho loiro sou corno ?quando a chapeleta inchada entrou no cu a menina gritocontos eróticos de vários cavaloscontos eroticos ousados com muita excitacaohttp://okinawa-ufa.ru/conto_22456_ajudei-meu-amigo-comer-o-rabinho-da-minha-mulher.htmlcontos eroticos meu tio meu amante casa de vovocontos eroticos do de mamar para o filho da namoradaconto erótico chupada do nada escondida mel sugar babarcontos eroticos fui comida pelo meu chefe e chingada feito uma puta vadiaporn contos eroticos esposa de coleiracontos eroticos de insesto tio e sobrinha de oito a dez anospassivosrj sexoconto eróticos mana so de calcinhameu padrasto me arrombou a força até esfolar minha bucetinhaconto erotico de bucetas folozadacontos eroticos de encoxadas em onibusaí mano chega pra praia e faz sexo com irmãocontos erotico chantageada no metrofui dormir na casa do meu primo e ele acordou de pau durodedada esposa corninho rindo otário conto pegueimeu amigocomendo o cu da minha mulherconvencimeu marido a ser cornoContos eroticos enteadascontos eroticos de esposas de fio dentalviajei e transei no onibus marido corno assumidocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticoscalcinha algodaoconto tia gostosa de microcalcinhacontos eroticos abusada no onibuscontos eroticos entiado madrasta gordaso mrninas na mastubando n causinha toda melada video mobilcontos eróticos vi ele com pau inchado falou que tinha machucado contos eroticos arrombando a gordaContos gay banheirocontos narcejanifetasafadagostosacontos eróticos fizemos amor no carro delelesbicas compircen no cuamigo tenta estrupar amigo bebadocontos esposa bunduda so traz problemascontos eroticos cdzinha shortinho maeesposa e meu amigo contos pornosComtos heroticos da cunhadinha viviane dando pro cunhado reinaldozoofilia espanhola gostosa atualcontos eroticos gays,tio jorge me feis mulhersinhaMadrinha safadas relatos eroticos atuaiscontos erótico filha no ônibusassisti vídeo porno de mulher de chortinho curto depano fino ela dentro de casacontos dei pro meu genrominha mae cavala chifrou meu pai com um novinhowww.fiquei louca quando vi a cueca do meu filho mrlada de gala contocontos eroticos, casada nova surpreende marido em cine pornocontos eroticos esposa safada pintada de indiacontos pornô entre padrinho e a fénamorada sem calcinha no sofá mostrando a b***** para o namorado e f****** com elecontos de incesto de encoxada em onibusninfeta foi tomar injecao e levou pinto na bucetaContos-esporrei na comida da cegapornocontossiriricapolicial come putinho na viatura no porno gayzoofilija detei i poróconto erotico, esposa, buceta alargadabuceta com muito tesao goza na primeira estocadaconto gay sozinho em casa pepinofui comida e chingada feito puta pelo meu primoConto erotico sogra bundudaporno tio roludo viaja dd onibus com sobrinha