Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DONA JULIA, COPEIRA SAFADA.

Olá amigos, como vocês já sabem sou representante, minha função requer que eu esteja sempre na rua, ou seja, passo no escritário menos de uma hora por dia e tem pessoas na empresa que mal sei o nome. Dona Julia era uma dessas pessoas, sá sabia seu nome e que ela era nossa copeira e mais nada.



Porem como dependo do meu carro 100% do tempo para trabalhar não posso me descuidar da mecânica do bichinho então esta semana como as coisas estavam mais calmas resolvi mandar o possante para revisão completa o que tomaria o dia todo, aproveitei a oportunidade para ficar no escritário atualizando algumas planilhas e respondendo e-mails.



Dona Julia sempre prestativa me trouxe alguns cafezinhos durante o dia e conversamos um pouco. Já tinha observado seus seios volumosos e de vez em quando ela vinha com uma calça de lycra preta tipo de academia que ficava uma delícia, ela deve estar na faixa dos trinta e seis para trinta e sete anos. Em nossa conversa descobri que ela tinha se separado a alguns meses e que estava morando sozinha numa quitinete que tinha alugado. Como sou muito safado já me passaram idéias libidinosas pela cabeça, sabendo que ela deveria estar a um tempo sem sexo comecei a arquitetar como poderia fazer para dar um trato nela.



Naquele dia fiquei me enrolando até o pessoal sair, estava começando uma chuva fina e a Dona Julia ainda estava na copa, quando percebi que a maior parte do pessoal saiu pedi para a oficina trazer meu carro. No que desliguei o telefone Dona Julia se aproximou da minha mesa dizendo que estava indo. Pedi que ficasse, pois minha chave estava no carro e não teria como fechar o escritário. Ela me retrucou com um sorriso dizendo que quando o carro chegasse eu trancava, quebrou meu argumento na hora. Mas na malandragem disse que não tinha certeza de que a chave estava lá, ela falou que não poderia demorar mais do que cinco minutos se não perderia o ônibus. Aquela foi a deixa que eu estava esperando, falei que não teria problema, que eu a levaria até em casa em troca da gentileza de esperar.



Julia concordou em sentou-se em minha mesa, cruzando as pernas numa atitude ousada que eu não estava esperando, acho que ela estava é me testando, estava com um longo vestido que chegava até suas canelas, mas como tinha um corte lateral deixava partes de suas pernas a mostra, ela conversava comigo olhando nos olhos e eu não conseguia me conter em olhar para aquelas pernas. Amigos, nenhuma marquinha sequer, nem de varizes nem de celulite, nada, lisinhas, bronzeadas e na medida.



Notei que ela falava bem e com desenvoltura para uma copeira, perguntei o que tinha acontecido que a fez parar os estudos, ela me disse que quando conheceu seu ex-marido ela estava iniciando a faculdade, mas que quando ela engravidou e os dois casaram ela teve que ir a luta e deixar os estudos de lado, mas que agora com a separação e a filha já crescida ela estava voltando a estudar, elogiei a postura dela e a coragem e notei que ela ficou um pouco emotiva, no que mudei de conversa, pois queria Julia alegre e não deprimida.



Conversamos mais um pouco sobre assuntos variados até que chegou o carro, fechamos o escritário e saímos, amigos, vou ser sincero, minha vontade era de comer ela ali mesmo. Mas não quis tentar algo e me arrepender depois, preferi deixar rolar. Fomos ate sua casa, que por sinal era até perto do escritário, ela insistiu para que eu entrasse, e claro, eu não quis perder a oportunidade. Julia me pediu para sentar e assistir um pouco de TV enquanto esquentava uma água para um café e ela trocava de roupa. Fiquei ali pela sala sentado imaginando se eu não estaria vendo maldade onde não existe.



Demorou uns minutos Julia apareceu, aí não tive duvidas de que ela estava me provocando, ela entrou na sala maquiada, com os lábios brilhantes de gloss e com uma calça de academia sem calcinha, eu sei que estava sem pois dava para notar que não tinha nada entre o lycra e aqueles lindos gomos, e em cima, uma blusinha preta de laço, notei que também estava sem sutiã pois podia ver nitidamente as marcas dos biquinhos nos volumosos seios de Julia. Não resisti, levantei do sofá e agarrei ela por traz e dei um beijo em seu pescoço, ela gemeu forte, apertou minha coxa e me puxou mais para perto dela, então não falamos mais nada, começamos a nos amassar ali mesmo.



Comecei a passar a mão direto no meio das pernas, senti o volume dos seus lábios separando a calça de lycra o que deixava um formato lindo, adoro capozinhos de fusca e o dela era perfeito, comecei a passar a mão pelos seios, abraçar, passar a mão na barriga e ela não falava nada, sá continuava a gemer e me apertar, logo senti sua mão apertando meu saco e subindo segurando meu pau por cima da calça, eu estava a mil, mordia seu pescoço e sentia o cheiro dos seus cabelos, ela é uma mulher bem cuidada, cheirosa e de pele muito macia, nos amassamos mais um pouco e virei ela de frente e taquei um beijo na boca, nossa, como ela estava com fogo, nossas línguas se enroscaram numa loucura frenética, senti ela baixando minha calça e deixando o pau de fora, logo ela se abaixou e começou a chupar, chupava forte se segurando em minhas pernas e fazendo um movimento ritmado com a cabeça, deixava entrar quase tudo na boca. Chupou mais um pouco e levantou. Arrancou a blusa violentamente revelando seus lindos seios, bem mais volumosos do que eu tinha pensado, cai de boca naquelas tetas imediatamente, e com as mãos fui bolinando sua xaninha por dentro da calça, então comecei a despi-la completamente. Fiquei extasiado ao ver na minha frente aquela mulher já madura com corpo tão perfeito.



Coloquei–a de pe mesmo com a bunda empinada e as mãos apoiadas no sofá, comecei passando um dedo na sua xaninha completamente molhada, quente e macia, não resisti e enterrei o pau inteiro de uma sá vez, ela deu um gemido forte e começamos a sacanagem para valer, empurrava com força até sentir que sá os bagos estavam de fora e com ele completamente enterrado naquela gruta quente e molhada fazia movimentos laterais e de vai e vem arrancando gemidos e contorções do corpo de Julia.



Não resisti muito tempo e gozei, dentro daquela xana molhadinha, ela gozou junto comigo, nossas pernas estavam tremulas, mas eu ainda queria mais, convidei ela para um banho, nem esperei a resposta e já a fui arrastando nua mesmo para o banheiro.

A primeira coisa que fiz foi colocar o pau na boca daquela mulher, ela estava completamente entregue, bastava um olhar e ela sabia o que eu queria, abaixou e re-começou o boquete, meu pau ficou duro rapidinho, ela foi aumentando o passo e percebi que ela queria leite na boquinha mesmo, relaxei ao máximo e deixei o gozo fluir, não tão forte quanto os primeiros jatos que inundaram Julia de porra, mas mesmo assim pude ver escorrendo pelo canto da sua boca, ela tinha um jeito bem malandro, saboreou até o final me mostrando a boca vazia como uma putinha de filme pornô.



Ela então me olhou com uma carinha de não vá embora e pediu, “-Fica aqui um pouco mais comigo”. Falei que sim e que poderia ficar o tempo que ela quisesse. Ela então se lavou enquanto eu a observava passando as mãos pelo corpo, e ela me provocando cada vez mais, fiquei de pau duro de novo, estava louco de tesão, ensaboei sua xaninha e fiz uma brincadeira com os dedos na sua grutinha e em seu furinho, ela adorou, gemia, gemia forte até que senti escorrer um melado por entre suas pernas, ela gozou, fomos para o quarto e deitamos um pouco como um casal de namorados.



Julia era muito safada e dava para ver que estava sem um macho a tempo pois mesmo ali deitados descansando ela não parava de me punhetar, uma punheta manhosa, vagarosa, mas ao mesmo tempo muito exitante. Suas mãos eram bem suaves e ela sabia de fato o que estava fazendo, já tinha ganho punhetas de muitas meninas e posso dizer, ela era profissional, já estava quase gozando na mão dela quando ela subiu e começou a cavalgar, posso dizer que foi gostoso bombar ela por traz, mas deixar ela no controle da situação foi melhor ainda. Sentia ela empurrando o corpo até entrar o máximo que conseguia, sentia os pelos de sua vulva encostando em mim, foi uma delicia, ela gozou mais uma vez assim cavalgando, deitou ao meu lado e me disse que queria adormecer com meu pau na boca, como se estivesse chupando uma chupeta, é claro que concordei, ela se ajeitou e dormimos eu completamente extasiado de tesão e ela com meu pau na boca, acordei com ela mamando algumas horas depois e esporrei mais uma vez naquela boquinha.



Então tive que ir pois já havia passado muito da hora de chegar em casa, tomei uma ducha rápida, me recompus e voltei para casa, completamente saciado de prazer com a dona Julia.

Depois disso metemos muitas vezes mais, mas são historias para outros contos.

Abraços a todos..

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos negaocontos de safadas que trabalham em frigorificocontos de coroa com novinhoa menininha gotozinha pequeninha contostroca troca de homens adultos contoscontos cdzinhaspegando hetero casado conto gaycontos dei pro mulequinho de ruamulheres aronbada decalcinha sujahistoria conto carona casal desconhecidocontos eroticos traicao.marido percebe esposa arrombadaArregassando a bucetinha de uma virgem enquanto ela chupa o.pau do outroConto erótico filhinha querendo o pintão do papaiswing tio com sobrinhas flagrante historias contosconto estagiaria virgemconto flagrei minha mulher com um estranhodei o cu no campig homoxesuaisContos eroticos-Virei pridioneira lesbicaContos de zoo dei a buceta pro cavaloa bucetinha linda da sobrinha novinha contosboquete no filho contosconto real tia se masturbando some comia e gozava em minha boca abusoo.segredo..de aline.conto.eroticoporno doido zoofilia fetiche cachorro lambendo a bucetaContos eroticos ai mo seu pau ta me matando mete ai ai deliciosa aiiconto erotico meu cunhado fez meu cu sair sanguedeixo penetrar sem camisinhaa minha cunhada casada e saia justa contos com fotoscontos eroticos velha donzelavoyeur de esposa conto eroticomeu irmao cacula a puta conto de wallisomulheres com dhorte branquinho com cuzaocomecei muito cedo pornodoidocontos eróticos um casal transando na sala enquanto os pais tiram um cochilodei o cu quando eu era pequeno contosconto erotico loira baixinha gordinhaconto com putinha novasContos de masturbação com objetos no ginecologistaVídeo lendo contos com vibrador na bucetacontos eroticos arrombando a gordaLóira safada narra conto metendo na coberturagruda nos pelinhos da bucetaconto - amor de pica doentioContos eroticos de mulheres casadas de manausmunher ce mastuo eu fimeu pai comeu minha bucetinhaconto eroticoadoida+conto+erotico+eu+e+minha+sogra+na+praiacontos iniciado no banheiro do trabalhocontos de estupro nao resiste minha enteadaesposa bebada contos eroticosconto minha enteada de dez anos sentou no meu pau sem calcinhaContos eroticos- meu pai me xingando no sexoContos.encestos.mae.no.campo.de.futebolContos no clube todos mus meu pai e seus amigos me fodem okinawan gélico pornôcontos erótico de coroas casados trancando com novinho BA baladasporno contos casada comprando mandiocasocando a rola no cu da mulher gostosa sem dó boa noitecontos eroticos grinaldasarrando a tia de saia curtinha contomulher do gelou grande fudedoHistoria dw cunhada gostosaconto erotico casada com dupla penetraçãocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos meu cunhado lambuzou a minha cara de porraconto comendo a mulher casadaconto erotico empregada negra escraviza patricinhacontos eroticos minha esposachupa o patrao no escritorioconto eroticocasada traindo com negraoconto seduziu heteroBusca por contos de esposa reais, que vai para balada e deixa o marido transtornado quando ela demora no banheiro e pega ela transando no estacionamentocontos de sexo espiando minha maeFiquei parado olhando a bunda delacontos eróticos irmã calcinha dormindo