Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA ADVOGADA, SEU MARIDO E EU

Eu era diretor de uma empresa de informática, que montava desde processadores e impressoras a desenvolvimento de programas; eu tinha muito poder, mas também muitas responsabilidades, cobranças da matriz, metas, etc. Era um dia a dia muito estressante, que se iniciava as 08:00 horas e não tinha previsão para o seu término. A minha secretária de muitos anos, que entendia o que eu pensava ou precisava somente com um olhar, afastou-se do trabalho por gravidez; fiquei apavorado. Recebi para o seu lugar uma nova secretária que havia chegado de outra filial; a advogada também passou num concurso público e deixou a empresa; e nás tínhamos muitos processos contra devedores.rnQuando a nova advogada apresentou-se fiquei de imediato encantado com os seus dotes físicos, que se resumiam desde uma simples beleza interiorana, com um indisfarçável sotaque caipira, um corpinho esbelto, mignon; seios maravilhosos, bundinha arrebitada, coxas grossas, minúscula saia, e para finalizar, sandália de salto alto; essa roupa era o que mais me enfeitiçava numa mulher e ela acertou em cheio. Enfim, uma mulher intrigante, que me cativou de imediato, maravilhosamente competente e sexy. rnDe pronto a nova advogada mostrou os seus talentos profissionais; em questão de dias já dominava todas as rotinas do setor, conhecia as nossas carências, mas também a importância do nosso trabalho; a Dra. Neyde logo fazia mudanças, sugeria novas rotinas, novos controles, novos processos, enfim uma profissional de muito talento; conversávamos muito sobre o nosso trabalho e com o passar dos dias, nossa família, nossos amigos, a vida de casado com suas coisas boas e a infinidade de coisas ruins. Em um mês ela já parecia que estava há décadas trabalhando comigo; ficava todos os dias pontualmente até 19:00 horas, exceto as quartas feiras quando ficava além do seu horário de saída, sem pressa, pois o marido ia jogar futebol com amigos e chegava bem mais tarde, cheirando a bebida, quando ela já estava dormindo.rnPercebi que essa situação aliada a outras menos evidentes, deixava-lhe uma ponta de insatisfação com a sua vida de casada; até que numa terça feira no final do expediente ao dar-me um até amanhã, deixou escapar um grande suspiro de insatisfação com a vida pessoal; senti que na minha frente uma porta havia sido aberta.rnAproveitei o dia seguinte, quarta feira, para segurar-lhe um pouco mais no trabalho; a oportunidade permitiu-me entrar no campo familiar; e ela não me decepcionou; contou todas as suas frustrações com a vida de casada, com a omissão do marido, Gilberto, um engenheiro que mais preferia a companhia dos amigos e do futebol, que era muito ?bom de cama?, pois dormia imediatamente ao colocar a cabeça no travesseiro, esquecendo-se que ao seu lado havia uma jovem esposa, fogosa e insatisfeita; e quando lhe procurava para o sexo a sua ejaculação precoce não lhe proporcionava prazer. Eu a ouvi com atenção e interesse; demonstrei claramente a minha solidariedade a sua insatisfação e fui ganhando pontos em cima de pontos com o caminhar da nossa conversa; passado algum tempo eu já me sentia senhor absoluto da situação e via aquela fêmea maravilhosa, carente nas minhas mãos; tinha certeza, de que se eu avançasse o sinal, ganharia uma companheira maravilhosa, atenciosa, sexy, carente, charmosa, enfim um sonho de mulher; levei o nosso assunto para preferências sexuais e ela assumiu o diálogo; disse sem maiores titubeios de que adorava fazer uma gulosa; eu confessei a minha ignorância; não sabia o que era isso. Ela explicou em detalhes, pegou um biscoito que tinha na bolsa e mostrou como chupar um pau; e disse que gostava de acrescentar à chupação, um carinhoso fio terra; fui às nuvens; fazia um tempão que ninguém mexia no meu cuzinho, a minha fraqueza desde a infância. Levei-a na cozinha para preparar um chá de hortelã natural para nás, que eu sabia ser o seu predileto; bule sobre o fogão, aquela fêmea maravilhosa na minha frente, indefesa, não resisti; abracei-a, coloquei o seu rosto sobre o meu peito e beijei-a delicadamente nos cabelos negros, na testa; com o dedo indicador levantei o seu queixo e depositei um beijo bem suave nos seus lábios; em cada iniciativa ela estremecia e se ajeitava nos meus braços, que lhe transmitiam segurança e carinho; colocou a sua coxa direita no meio das minhas pernas, sentiu o meu pau já muito duro, ofereceu um seio ao toque da minha mão e a sua boca sedenta de beijos; avancei todos os sinais, sem cautela ou perda de tempo; fui prontamente correspondido; senti que ela estava também muito carente de carinhos, dos meus desejos; ela era todinha minha. Abri o cinto da sua saia, desci a minha mão pelas suas costas, acariciei a sua bundinha, o reguinho, e cheguei na sua xoxotinha, já totalmente molhada; penetrei o dedo médio, acariciei o grelinho,; os seus suspiros viraram gemidos e em questão de minutos ela já estava no sofá sendo penetrada; tinha uma bucetinha cabeludinha,apertadinha, perfumada, pelinhos negros, brilhantes. Meu pau duro como uma rocha penetrou-lhe sem dá e nem piedade; comi-a de frente, de quatro, sentada no meu colo de frente e de costas; a cada mudança de posição a sua xoxotinha derramava o seu gozo nas minhas coxas, no meu pau, no meu saco; chupou-me o pau com mais avidez, pois parecia que o sabor do seu gozo nele derramado lhe dava ainda mais tesão; gozou como nunca na sua vida; o seu rosto afogueado demonstrava o tamanho da sua satisfação comigo; tomamos um banho no meu chuveiro, fomos embora para casa e iniciamos um relacionamento maravilhoso; a cada vez que nos encontrávamos o nosso sexo era mais completo, a nossa amizade maior, o respeito e a intimidade total; me entregou o seu cuzinho e penetrei pela primeira vez naquele orifício maravilhoso; ficou viciada em sexo anal; o seu marido nunca havia conseguido lhe penetrar, pois nas primeiras estocadas gozava e o seu pau não respondia mais. Uma decepção, frustração que eu corrigi. Quando me chupava introduzia o seu dedo médio no meu cuzinho e me levava às alturas; me lembrava do meu primo, o primeiro e único homem que me havia penetrado.rnEla tinha uma fixação que me deixava muito excitado; comparar o meu pau com o do marido; ela sempre dizia que o pau do marido era mais bonito, mas em compensação o meu desempenho era fantástico. E isso me criou uma curiosidade: como seria o pau do marido dela ? Por que seria tão bonito assim ? O que ele tinha que o meu não tinha ?rnMas como tudo que é bom acaba por melar, ocorreu que ela descuidou-se no relacionamento com o marido, que desconfiou, seguiu e teve a certeza que ela estava lhe traindo; confrontou-a. Neyde não se fez de rogada; confessou tudo, desde o começo e disse claramente do meu desempenho com ela, da quantidade de gozadas que já havia dado comigo, da completa satisfação que sentia ao se deitar comigo, do cuzinho que somente eu comia, do carinho que eu lhe dedicava, do respeito, da atenção enfim.rnO seu marido veio falar comigo numa noite em que ela já havia ido embora; civilizadamente conversamos a respeito; ele disse claramente que nunca esperava uma situação dessas, pois achava que ele lhe dava a atenção necessária, etc. etc. etc.rnConversamos por uma hora, já estávamos quase amigos quando ele me perguntou a respeito do meu desempenho e eu retruquei perguntando sobre a beleza do seu pau; vimos claramente que ela divulgava os atributos de um para o outro; fomos ao banheiro urinar; quando ele tirou o seu pau fiquei admirando aquela obra prima da natureza; realmente ela tinha me dito a verdade; ele viu a admiração estampada no meu rosto e sugeriu:rnrn- Já que você está comendo a minha mulher, poderia pelo menos me dar uma chupada.rnConcordei com a cabeça, voltamos a minha sala, tirei-lhe as calças e me ajoelhei para chupá-lo; o seu pau já estava quase duro e era realmente lindo; branco, pelos negros, cabeça arroxeada, não muito grosso e nem muito comprido; em minutos eu já o tinha totalmente na minha boca; acariciei as suas coxas, as bolas, chupei as virilhas, senti o indiscritível perfume que emana dos machos, acariciei a sua bunda, o seu reguinho, virei-o, mordi a sua bunda branca, enfiei a língua no rego; ele estava absolutamente dominado, tesudo, tarado, entregue; e eu me aproveitei daquele macho delicioso, saboroso; chupei com gosto o pau que as vezes comia a mulher que eu tanto gostava; a sua respiração foi ficando acelerada, descompassada, gemia muito e gozou; gozou muito na minha boca. Segurei todo o seu gozo, virei-o de bruços, e depositei o seu gozo na sua bunda; lubrifiquei o seu cuzinho com aquele esperma saboroso, perfumado, quente; introduzi um dedo, dois dedos; Gilberto soltou um urro de tesão, de saciedade e eu lhe disse:rnrn- Agora é a minha vez, você é meu.rnPosicionei-o, coloquei meu pau na porta do seu cuzinho e forcei; uma vez, duas vezes. Logo a cabeça do meu pau passou pelas preguinhas, ele gemeu, gemeu, se ajeitou e o meu pau lhe invadiu; fui até o fundo. Dei muitas estocadas; o meu saco batia na sua bunda fazendo aquele barulho maravilhoso de fricção, meus pentelhos esfregavam a sua bunda, o seu rego, até a porta daquele cuzinho que agora também era meu; ele estava maravilhado com a situação; fui até onde o meu pau alcançava: no final do seu cuzinho; mais algumas estocadas e gozei, gozei, gozei como quando comia o cuzinho da sua esposa.rnTirei meu pau, deitamos no carpete da minha sala, ele nos meus ombros; descansamos alguns minutos até a nossa respiração voltar ao normal, e ele perguntou com a voz tremula:rnrn- E agora, como que fica a nossa situação?rnrnRespondi:rn- Você, eu, ela; nás tres pra sempre. Topas ?rn- Sim, sim, disse-me; vou falar com ela ainda hoje.rnE assim foi feito; somos um triangulo de prazer, carinho, respeito. Os tres absolutamente felizes, completos, fiéis uns aos outros. Um brinde ao amor e a [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos estrupadasconto eróticos mãe p*** e baunilhasubstitui o papai contos eróticospeladas com o corpo inteiro de margarinacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos comedor a família todanegra da pra um de4 e chupa do outro por dificuldade em motelcontos compadre do avô no sítio gaycontos de mae com consolo comendo cu da filinha bem novinha contos eroticosconto eróticos dei pra meu pai depois de casadaperdi minha namoradacontoscontos eroticos filho da minha vizinha amante maravilhosocomendo e falando sacanageme gozando contosconto lesbico tia iniciando a sobrinhacontos eroticos zt i: blackmailde camisola sem calcinha filho aproveita o cu dela searchComtos erotico relato de travest ativa conto safadocomtos de fodas com travetis e mai e pai e filhosmamae.ei.orgias.Dei o cu pro policial, quase me rasgaIrmã Seduz O Irmão (contos Eroticosconvencimeu marido a ser cornocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos o namorado da minha filha mim bolinocontos eróticos com novinha casada com cara do pau giganteContos erotico, sobrinho que pergou a tiaCamila minha enteada sozinha comigo em casa dando a b******** para mimconto erotico gay sado prisaocontos eroticos namorada primoconto de dptirei o cabaço deleContos fuderam minha boquinhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentefilme diaristas mostrando as coxasxxx conto Incesto+Minha mae saiu comigomeu irmão me viciou em chupar pau conto gayconto erotico facilitei para fuderem minha mulhermadame currada no mato contosurpreendeu a esposa com consolo contosrealizei meu sonho comi minha tia perdi a virgindade conto eroticopeguei minha amante e minha mulher e fodi as duasmoranade bct Grande batendo um pra amiga conto erótica- meus amigos fuderam minha noivacontos erótico de estupro de empregadashttp://contos hetero piscinaEstouraram meu cuzinho na viagem contoscontos minha esposa me ensinou a ser cornomulheres cavalas de quarenta de bucenta inxada e grelo inormeconto erotico viado velho humilhado por macho dominadorconto erotico meu genrocontos eroticos traindo marido na cadeiaFui fudido pelo velho contos gaychantagem minha irmã e como o cú delsCris devassa. contos eroticosconto erótico transei com senhora crente e filha juntasCONTO EROTICO ENCHE MEU RABOcontos eróticos comei a sogra numa faxinaEu morava sozinho minha aluna do cursinho ela veio morar comigo ela agora ela e minha mulher conto eroticovídeos pornô de avô sentando a netinha de sainha curtinha no coloNo cuzinho desde pequenamulher que fica um montinho na frente ,e peluda ou tem a buceta inchadacontos eroticos sentada no colo do.velhocontos eróticos fui flagrado comendo minha sogracontos eróticos caminhoneiro seduziuminha prima me deu conto eroticoContos de novinho chupando kct de caminhoneirometendo com violencoa no cu da gordonaconto de sexo com o pai ou irmão ou tioconto traindo namorado com amigo da escola o jonatanmeus aluno roludo contospadastro vio a enteada de bebidou e pateu uma poeta xvidiocontos eroticos depessoas normais reaiscontos de patroaconto gozada encoxada