Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

EU, MINHA EMPREGADA E SEU NOIVO CACETUDO

Olá, sou a Carol, lembram de mim? Apás muito tempo sem novidades, devido a um problema de saúde na família, estou de volta com uma coisa que me aconteceu e que quero contar para vocês. A empregada que tínhamos era casada e o marido foi transferido para uma obra em outra cidade e, por conta disso, ela deixou uma prima no seu lugar.rnA prima se chamava Carminha e era noiva. Logo simpatizei com ela que era uma mulata clara, com olhos cor de mel, um pouco mais baixa do que eu, seios empinados, cintura fina, bunda arrebitada e coxas grossas. Nando, meu marido, logo comentou como ela era bonita e eu, brincando, perguntei se estava a fim dela e rimos, mas senti que ele estava com tesão por ela. rnUm fim de sábado, estava na cozinha com a Carminha e notei que ela estava meio cansada. Ao perguntar se tinha feito farra com o noivo na noite anterior ela me perguntou se eu tinha notado e me disse que tinham ido a uma festa de aniversário de uma amiga e que depois foram a um motel. Eu então disse ? Ah! Então está explicado, vocês aproveitaram bastante e ele deve ter tirado o atraso, não foi? Ela então me contou que ela sempre ficava assim, pois além dele ser muito ativo na cama, tinha um membro muito grande que nem cabia inteiro nela o que deixava ela frustrada. Eu a tranquilizei dizendo que se ele gostava dela, certamente não iria se aborrecer por não poder meter tudo, mas ela me disse que ele se sentia frustrado por nunca ter conseguido penetrar completamente uma mulher. Aproveitei a deixa para dizer que éramos o inverso, pois eu tinha a vagina muito profunda e que sonhava com um membro que me penetrasse completamente. Ela perguntou se o do Nando era pequeno e disse-lhe que não, que media 19cm, mas ainda assim não me preenchia completamente. Na semana seguinte, ela começou com uma conversa estranha, perguntava se eu tinha mesmo vontade de experimentar um membro bem grande, se era sá vontade, etc, Eu resolvi encurtar a conversa e perguntei onde ela queria chegar e ela me disse que gostaria de ver o noivo metendo em mim, que tinha conversado com ele e contado da minha vontade e do fato de eu ser profunda e de que essa seria a oportunidade dele realizar o sonho de conseguir meter o membro inteiro em uma mulher. Fiquei olhando para ela, por um tempo e depois, sorrindo e a abraçando, disse que seria átimo, que adoraria fazer aquilo. O empecilho inicial seria a presença do Nando, mas dei um jeito. Nás iríamos, os quatro, para a nossa casa de praia e depois de instalados o Nando daria uma desculpa de que precisava retornar a Salvador e passaríamos o primeiro dia e noite a três. rnAo chegarmos à nossa casa no litoral norte, Nando recebeu o telefonema dizendo que devido a um problema na empresa ele teria de retornar ao escritário e sá voltaria no dia seguinte.rnEu tinha levado, de presente, um biquíni bem pequenininho para a Carminha que lhe ficou muito bem, deixando a bunda quase toda exposta e pouco cobrindo o sexo. O sutiã também era bem pequeno e valorizava ainda mais os seios dela. Ficamos bebendo caipiráskas, comendo petiscos e mergulhando na piscina até que em um desses mergulhos, ao me virar me deparei com a Carminha e o Bruno no maior beijo. Via as línguas se enroscando, ele passando as mãos na bunda dela, ela gemendo e se esfregando no pau dele que forçava os quadris para a frente. Os dái gemiam, gemiam de tesão e aquilo estava me deixando louca, com os bicos dos seios querendo furar o tecido do sutiã e a buceta molhadinha, que eu passei a esfregar e afastando o tecido para o lado dedilhei meu grelo duro, arfando de prazer. Quando os dois se afastaram, pude ver o tamanho que o pau do Bruno alcançara e fiquei louca de vontade de pegar nele, chupar, punhetar e meter ele na buceta. Há quanto tempo não sentia um pau daquele tamanho me rasgando toda, me abrindo. rnCarminha, olhando para mim falou ? Olha como está enorme, não te disse que era grande? ? e foi pegando no pau do noivo e massageando, esfregando, até tirar para fora da sunga e punhetando com toda força perguntar ? Não é lindo? Tá morrendo de vontade de chupar, né? Eu não resisti e, com a voz rouca pelo tesão, respondi ? Ah! Carminha, assim vocês me deixam louca. Porra, que cacete lindo é esse. Dá ele pra mim, dá? Ela, muito sacana, me disse que se eu quisesse teria que ir até lá e pedir pra ela. Sai da piscina e fui em direção a eles, minhas pernas tremiam e ela me mandou ajoelhar, pegar no pau do noivo e bater uma punheta bem gostosa. Quando quis chupar ela me puxou pelos cabelos dizendo que ainda não podia chupar, que era sá para bater punheta para ele e fiquei ali, punetando aquele mastro grande e grosso, cheio de veias, que me levava à loucura. Depois ela me afastou dele e se apoiando na mesa mandou ele meter na buceta dela no que foi atendida e fique admirando aquele cacete entrar na buceta molhada de tesão. Ela deu um grito quando a cabeça entrou e depois ficou gemendo, enquanto ele enfiava até pouco mais da metade e começava a tirar e meter, tirar e meter. Senti minha buceta palpitar e os líquidos escorrerem por minhas coxas. Acariciava os bicos rígidos dos meus seios e ao ver aquilo ela me chamou e me colocando encostada na mesa começou a chupar meus seios enquanto Bruno, entre gemidos, dizia ? Vai, chupa esses peitos, chupa minha gostosa, morda os bicos, lambe, lambe. De repente ela se afasta dele e me manda abaixar e chupar o pau dele dizendo ? Vai, chupa esse cacete, chupa, chupa com vontade. Tá sentindo o gosto da minha buceta nele, ta? Vem cá, vem, chupa a minha buceta também. Ela me puxou pelos cabelos e encostou meu rosto no vértice das suas coxas. Podia sentir o cheiro da buceta e não resisti e cai de boca naquela buceta molhada. Comecei lambendo seu grelo, e ela gemeu de prazer me levando ao delírio, estava dando prazer a uma mulher e aquilo me deixava louca. Ela quase montando no meu rosto esfregava a buceta na minha boca, acariciava os bocás dos seios, gemia e mandava o noivo ver ela sendo chupada por uma mulher. Dizia que sempre sonhou em transar com uma mulher como eu, que era diferente e que eu chupava muito bem. Enquanto isso o Bruno se punhetava como um louco e dizia que sempre sonhara em ver duas mulheres transando e me mandava chupar a Carminha e fazer ela gozar na minha boca. Ela ficou louca com as palavras dele e me pegando pelos cabelos esfregou a buceta na minha boca e começou a gozar ? Aaaaaaahhhhhhh... to gozaaannndo... aaaahhhhhhhhhhh... aaiiiiiiiiiiiiiiii... poooooorrrrrrrrra... olha o que ela fez comigo ammooooorrrrrrrrrrrr... aaiiiiiiiiiiiiii... que gos-to-as... aaaiiiiiiiii... -, ela gozou se estremecendo toda até as pernas fraquejarem e ela ir arriando o corpo até sentar no chão, em minha frente e eu a beijei. Foi um beijo longo, de língua e sá voltamos à realidade quando o Bruno começou a reclamar que tínhamos deixado ele na mão.rnFomos para a sala e lá me sem tei no sofá e comecei a chupar aquele cacete, chupei muito, babando nele todo até a Carminha me colocar de quatro e mandar o noivo meter na minha buceta. Ele encostou a cabeça e pude, depois de um longo período, sentir um tronco daqueles me arronbando. A cabeça foi entrando e me alargando, me abrindo toda, me fazendo gemer enquanto me segurava no encosto do sofá e Carminha insentivava ele a meter ? Vai amor, mete que ela está louca para sentir seu cacete entrar até o talo. Enfia mais, vai. Está gostando do presente que estou lhe dando? ? e ele respondia ? Ahhhhhh! Estou adorando amor, será que ela vai aguentar o pau todo? Está vendo? Já entrou metade ? continuando a enfiar, meter aquele cacetão duro, grosso, que me levava ao delírio, ao cume do prazer, que toda mulher devia se dar ao direito. Aquela situação esdrúxula, de estar sendo fodida por um homem que estava sendo incentivado por sua parceira me excitava muito, também e eu gemia e pedia para ele meter tudo e ele foi enterrando o cacete até não restar nada de fora. Quando ele viu que estava tudo dentro ficou louco e começou a me foder como um desesperado. Ele arfava, gemia, dizia para ela olhar como o pau estava todo dentro, que ia encher minha buceta com muita porra e eu gemia e pedia ? Vai Bruno, meta esse cacete na minha buceta, enfia tudo meu macho... aaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... pooooorra... assssssiiiiiiiiiiiiiiiiiiiimmmmm... mete esse cacete... me arrombe todaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... assssiiiimmmm você me mataaaaaiiiiiiiiii... Carminha... que pau gostoso.... olha como ele me fode... viu como eu aguentei tudoooo? Aahhhh... vou gozaaaaaaarrrr... aahhhhhh... aaiiiiiiiiiiiii.... gooooza. Logo em seguida ele me agarrou com bastante força e dando um hurro começou a despejar uma quantidade enorme de porra. Foram jatos e mais jatos que me inundaram e chegaram a transbordar da minha buceta, escorrendo pelas minhas coxas. rnEssa foi a primeira transa com eles e foi maravilhosa. Ainda transamos mais e durante a noite. Quando meu marido chegou, no dia seguinte, começamos uma nova etapa em nossas vidas que conta com a participação de Carminha e Bruno. Depois conto mais.rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


papai traindo mamae comigo contos eroticosadoro mamar na grávida contos eróticoscontos eroticos de tres irmas gravidas do mesmo homecontos eroticos novinha com amigomeu filho meu machocontos coroas fudendocontos eroticos meteram em mim e fiquei muito abertaTravest contosContos erotico exibi meus peitos enormes pro papaiminha cunhada casada me esnobou contosporno marido da vizinha foi viajar e fui pozar na casa delaguero asistir filmi porno as freiras virgem goxando na bucetacontos e relatos real de peitudasamiguinha d minha bem magrinha putinhaContos eróticos sentei no pau duro do meu namoradocontos eroticos com paus monstruosos fudendo casadascontos gay craqueiroNovinho bate papo uol contos eróticos gaysContos.Del.trabalho.mas.fudi.minha.enteada.bebada.dei,dou,e sempre darei a buceta em contosdividindo a cama conto bicontos eroticos de mae chupandocontos meu pai mi deu de presente pro negao picudo mi foder todaconto sou. chupeteiracontos dona florinda chaves pau durorasgou minha bucetas contosfodendo uma égua no estaleiropivete de penes de fora e tocando puietaPorno mobile boqueternoContos eroticos de travesti pauzao estuprado meninoscondos erodicos perdendo virgindadecontos eroticos picantes de cunhado ao telefonelevei minha prima pro mato na infanciaContos Eroticos Chinesa e negãocontos eroticos dei tanto a bucetinho pro meu cunhado k engravideiContos eróticos perigosa tentaçãoboa f*** mulher leva travesti para comer o maridoSexo contos visinhos virgindadecontos dando banho no meu filhinho chupei o pintinho delecontos virei a cachorrinha do meu amigoconto erotico incesto colocontos eróticos de gay Comi o cuzinho do Pai da minha MADRINHAesposa e sogra metendo na praia contoscontos eróticos levou no cuzinho virgem sem querercontos eroticos tio e sobrinha novinhaminha sogra usando lycraContos eroticos da esposa safada com o marido deficientecontos corno humilhado beija pésminha esposa ficou toda melada quando pegou outra pica pela vez contos eróticoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontis de sexo forcado por chantagemcontos eroticos,peguei minha filha e sua amiga transandoeu e minha transando mar conto eroticocarla dando a buceta ora o seu filho de 18incestodesenhopornôcontos eróticos dormindo com a porta abertaContos viagem casal praia toplessconto meu padastro ragou a minha bundinaconto de rasgei o cu de meu irmão fazendo ele choraa bumda que sempre sonhei comecontos eroticoscomi minha irma apertadinhaconto gay virei viadinhoeu e minha tia no banheirominha amiga pervertidaconto erotico chantageando filha prostitutaconto porno transei com meu paipode me chama de de puta decachora e salienteporno cunhada seio duro violadagozei com a linguadela no cuvideos de putaria nos onibos de mulheris deixano os homens em pinarcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentedei pra um dog bem dotado me arromboContos : namorada dando pra passarContos eroticos saia rodada e de calcinha fio dental