Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

NOVINHA E DELICIOSA

Esse conto real aconteceu enquanto esta fazendo faculdade em outra cidade, assim posso usar nosso nomes reais.rnMe chamo Carlos e hoje sou médico, tenho 28 anos, moreno, 170cm, e penis mediano, nada de descomunal, porém nunca me deixou na mão. Para relatar essa experiência tenho que voltar um pouco no tempo:rnTinha acabo de terminar o ensino médio e passar no primeiro vestibular para medicina na Universidade Federal do Amazonas (UFAM), minha família não tem muito dinheiro, porém eu e meu pai fizemos um poupança para faculdade quando eu ainda tinha 19 anos logo não precisei me preocupar com dinheiro durante os estudos. Tive que me mudar do meu estado e morar sozinho, tudo era novo para mim. Fiquei uma semana em uma pousada até encontrar uma casa. Ela fica ao lado da casa do proprietário e isso se mostrou uma vantagem. Apás um mês perguntei a ele se não conhecia alguém que pudesse cuidar da limpeza da casa para mim, quem já viu a casa de um homem morando sozinho já sabe. Ele disse que ia ver com a sua empregada, na semana seguinte vem uma senhora negra de uns 45 anos, mas muito bem conservada perguntar se eu ainda precisava de alguém para cuidar da casa, disse que sim e ela disse que como eu morava sozinho sua filha poderia cuidar da casa para mim. Fiquei receoso pois ela me disse que sua filha tinha 19 anos e viria cuidar da casa apás a aula, no período da tarde. Pensei bem e como nunca parava em casa, cursos integral é foda, seria uma boa chegar e estar tudo em ordem. Disse que a menina viesse na segunda para fazermos uma teste de uma semana. Na segunda a menina veio e puder ver que apesar da idade era muito linda, uma mulata de 150cm novinha com tudo durinho, uma cintura fina, que contrastava com uma bunda redondinha. Disfarcei meu inicio de ereção, ja tinha um tempo que não dava uma. Combinamos o serviço e como ela se mostrou meio tímida disse para não se preocupar que quase não me veria pois passava quase o dia todo na faculdade, dei uma cápia para ela e nos despedimos. E raramente nos víamos, quando ele precisa de algo que estava faltando na casa ela comprava com o dinheiro que eu deixava na gaveta do quarto e deixava a nota e seu pagamento deixava na sala no dia certo. E assim foi durante 4, cada vez que a via eu ficava mais encantado com sua beleza. Ví aquela menina linda se tornar um mulherão e tanto. Nos dois últimos anos da faculdade, foram os piores pra mim tinha residencia e a monografia, não sobrava tempo nem para ir nos bares perto da faculdade atrás da mulherada, mas não reclamava logo seria doutor. Por essa época eu tinha 23 anos e minha deliciosa emprega perto dos 18. rnUma bela tarde decidi que estava no meu limite e saí da biblioteca para casa tentar beber alguma coisa e relaxar o resto do dia. Estava uma tarde de calor insuportável. A casa é toda murada com uma área de serviço aos fundos, como tenho a chave cheguei e fui entrando, me anunciei e não ouvi a Lucy ( esse era seu apelido), ouvi sá o barulho da mangueira lá nos fundos ligada. Fui calmamente ver o que era. Lucy esta tomando banho de mangueira. Da onde eu estava ela não podia me ver, mas eu fiquei de boca aberta ao contemplar aquela cena, ela estava sá com a parte de baixo do biquíni, ela devia fazer aquilo sempre, já que em 4 anos eu nunca fui a tarde para casa, com 19 aninhos com uma carinha de anjo, mas com um par de seios deliciosos redondinhos de tamanho médios deliciosos de se chupar, uma bariguina lisa, mas o que me deixou doido foi ver o volume da sua buceta, era uma boceta que impõe respeito, quando ela virou de costas para minha aquela bundinha estava mais gostosa do que antes. Para minha sorte ela deu uma leve abaixada de costas acho que foi para aumentar a força da água e puder ver o volume da buceta por trás, era uma coisa de louco, lembrando que não dava uma a pelo menos uns 4 meses. Encostei na parede e bati uma punheta gostosa ali mesmo, quatro bombada gosei como um louco. Para não dar bandeira saí da casa de fininho e toquei a campanhia e fui entrando, acho que ela correu para o banhei e quando entrei em casa ela ja esta com uma toalha na parte de baixo e camiseta, sá que sem sutiã tava colado no corpo. Disfarcei e ela perguntou se eu estava bem, pois realmente parecia cansado, pelo stress da faculdade e de ter batido uma punheta a pouco. Disse que a faculdade estava me matando e tirei meu primeiro dia de folga em 4 anos . Peguei uma cerveja na geladeira e fui tomar na área de serviço que é bem arejada. Como o tinha terminado o serviço do dia ela, depois de se vestir, veio perguntar se eu queria algo mais, pensei bem. E disse que se ela me fizesse companhia seria muito bom, eram 16:00hs, como ela trabalhava até as 17:00hs, eu tinha uma hora para adimirar aquilo tudo. Começamos a conversar e ela se mostrou muito inteligente e que esta terminando o ensino médio gostaria de fazer medicina, perguntou coisas do curso e tudo mais. Eu estava adorando ter a atenção daquela ninfeta sá para mim. Me contou que sua mãe era viúva e sá tinha ela de filha, que estava de féria viajando para uma chácara perda da cidade. Foi da deixa para perguntar se ela aproveitou a viagem da mãe para levar o namorado para casa, ele ficou sem jeito e disse que a mãe não a deixava namorar e que ela sá ficava com uns carinhas da escola. Me perguntou se eu tinha alguém, o que respondi que a faculdade tomava muito tempo e que estava sozinho. Ela me disse que eu era um lindo futuro doutor e que duvidava que estava solteiro. Recebendo elogios dela fiquei me achando. Tava louco para foder ela ali mesmo, mas não podia estragar tudo. Perguntei se ela queria uma cerveja, me disse que não que estava trabalhando, falei que seu patão não estava ali hoje, que eramos sá dois amigos conversando. Ela pegou uma latinha e ficamos bebendo e conversando por uma hora. Ela ja bem solta, perguntei se ela realmente me achava bonito. Ela disse que sim. Então dei uma beijo no seu rosto, como ela aceitou dei uma beijo com vontade naquela boquinha, uma beijo que foi ficando mais e mais quente. Meu cacete lateja na calça, desci minha mão até aqueles seios durinhos e ela deixou, apertei com força e ela dei um suspiro. arrisquei apertando aquela bundinha durinha. Ela me disse aos sussurro que eu fosse com calma, que sá fez sexo uma vez e não foi bom. Disse para ela que a trataria como ela merece e quando quisesse parar era sá avisar. Com aquela vontade de quem ja não faz sexo q muito tempo tirei toda a roupa de e ali mesmo. Mas ela tava com vergonha de mim e cobria toda hora o corpo com a mão. Levei ela pro quarto e deixei ele todo escuro, perguntei se assim tava bom, ela disse que sim. No escuro ela se soltou mais, beija forte seu pescoço, fui descendo quando cheguei nos peitinhos chupei como se fossem os últimos do mundo, mordi aquela barriguinha. Quando fui descer ela trancou as penas, não desisti. Beijei as coxas, virei ela de costas mordi o pescoço e fui descendo, quando cheguei na bundinha mordi até forte de mais. passei a mão entre as as pernas e ela foi relaxando, cheguei na bucetinha dela, toda molhadinha, tinha poucos cabelos, coloquei aquele volume todo na minha mão, fiquei imaginando, já que o quarto esta escuro o tamanho da buceta. Quando passei o dedo no grelinho dela ela gemeu alto e logo tampou a boca, aproveitei esse momento pra cair de boca, ela se contorcia deliciosamente, chupei sem dá, ora o grelinho, ora enfiava a língua o mais fundo que podia. Levante as duas pernas dela, no estilo frango-assado e numa lambida sá fui do cuzinhu ao grelinho, isso foi e deixa para ela gozar gostoso na minha boca, chupei com força enquanto passava o dedo na entrada do cuzinhu.rnEnquanto ela tomava folego, sem pensar, peguei o cacete duro como pedra e coloquei na entrada da buceta, fiz movimento de vai-e-vem na portinha, molhei bem com liquido da que escorri a da buceta e foi entrando devagar. Nossa como era apertada, senti meu cacete ser abraçado por aquela buceta, como eu queria ver a cena dele entrando naquele buceta carnuda. Fiquei alguns minutos sá curtindo a sensação de ter o cacete atolado numa buceta apertada e molhadinha, não demorou muito e senti que ia gozar, como não saímos da posição papai-e-mamãe, tirei o cacete da boceta gozei na sua bariga. Gozei tão forte que o primeiro jato foi parar no seu pescoço. Desfaleci em cima dela. Depois de uma tempo, ela veio me dar uma beijo e me agradeceu pelo sexo, que essa ela iria considerar como o primeiro sexo de verdade. Nos beijamos e fomos tomar banho junto. Lá ela me perguntou se eu não poderia a levar em casa que ja estava tarde e ela morava longe. Como minha casa fica perto da faculdade não tinha carro, nem nada. Perguntei se ela não queria dormir ali, ela ficou com medo do que as pessoas iriam falar. Disse que ninguém sabia que ela não tinha ido para casa e que eu tinha aula outro dia cedo ninguém ia ficar sabendo. Ela topou e dormiu comigo abraçadinho como dois namorados, tentei dar mais uma, porém ela me disse que estava toda ardida e sá iria dormir, não quis forçar a barra e dormimos assim. rnrnMas vocês não sabem a surpresa que ela me fez uma semana depois... se gostaram desse relato e quiserem saber o resto da histária é o sá pedir...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


video sexi coiada esticada de manhã cedocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos foi assim que me arrombeivoyeur de esposa conto eroticohomem alisando penis hetero ate gozarFotos d afeminado c shortinho socadoconto+fui+arebentada+negro+meu+maido+adoroucontos bdsm erposas escrava submissa martameu marido e um corno/contostomou viagra e meteu na esposachantageada e submetida contos eroticosprimos e primas transando enquanto os pais saíram totalmente Pelotascontos virgenzinhapai enche a rachina da filha de leite videos pornocontos eroticos o menino magricela da pica grandeminha ex namorada tonta dando pra outro contoscontoseroticos/maeiniciandofilhacontos realizei o sonho do corno engravidei de outrocontos de avo e pai q transavam.comcom.com filhas incestos CU arrombado ABERTO madrasta contocontos de bdsm privada humanacontos eroticos tio e sobrinha novinhavídeo pornô com travesti travesti transando com a outra por amor todinho raiva da outraconto porno-minha mae e minha avocontos eroticos a mae do meu amigoconto erotico gay: tenho cinquwnta anos e dei meu rabo para um garoto de desessetecontos de surubas inesperadas com esposase um homem excita uma mulher e demora muito para penetra-la ela pode sentir uma dorzinhaestuprada por quatro cachorros conto eroticoprofessor comendo minha esposa mulata no motelcontos eróticos com fotos de menininhas sentadas no cologeladinho queria tar na pica no meu pai conto eróticocontos eróticos do tio malvadoconto eróticos incesto pai arrombamencontos eróticos de padrasto comendo enteada ainda bem pequenacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos presenciei um novinho tirando a calcinha da minha esposa na festacontos de coroa com novinhoContos erotico amigas devendocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteComi o cu da paulistinha contosconto - pediu para mamar no pau ...contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentemae olhondo filho comtoscontos eróticos abusada virgemContos eróticos aventura s de um pastorcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentemulheres loira amazonense traindo fazendosexomaisexo vidio de zoofilia com travestisconto garoto esperimentei da cuenfiando a.pica..comdificuldadeconto guando era pegueno dormia com minha mae e fudi elaesposa lavando roupa de microshorta coroa me mamou e me fez gozarContos eroticos puta desde novinhaNo motel minha sobrinha ela chupou meu pau eu chupei sua buceta e fudi ela contos eroticos Conto que meu vizinho esporra nas calcinhas de minha esposaconto erotico comendo a mulher do irmao na chantagemnoite de nupcias:conto pornocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteПРОДАМ-БАЗУ-САЙТА-okinawa-ufa.ruOuvindo fank e comendo o.cu do meu irmao gayContos de viadinho de shortinho socado querendo dar o cuTirei o c***** da minha enteada Camila e Ela gozou muitocontos-gays fui arrombado por um bombeiro no motelconto erotico dona de casa tranza com entregadorescontos eroticos brincando escondido infanciasou evangelica casada treprei com dois contosconto erótico fudendo com minha prima EvaContos esposa santinhacontos esposa safadas e putinhasconto esposa se transforma na casa de swingcontos meu marido descobriu quando cheguei arrombadaconto erotico velhoscontos eroticos, ele me humilha me bate me xinga