Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

GOSTA DE APANHAR NA BUNDA DE CHINELO

Mariza é minha colega de banco. Uma loira alta, altamente sensual e provocantes, mas com manias e idéias estranhas na cabeça.

Uma das manias da Mariza, que no início eu achei uma perversão, mas depois acostumei com a idéia, era gostar de levar uma surra de chinelo na bunda antes de transar.

Eu nunca fui muito chegado a esse tipo de coisa, sempre fui muito carinhoso com as mulheres e quando fui transar com a Mariza pela primeira vez, aliás, nem chegamos a transar, ela me pediu para dar umas chineladas em sua bunda até suas nádegas ficarem vermelhas.

Moro sozinho em um apartamento de dois quartos e pra mim não tinha problema algum executar aquela fantasia sexual dela ou, sei lá como chama isso, mas fiz o que ela me pediu, cumpri a risca tudo que ela mandou fazer e no final, ela ainda disse que eu tinha a mão leve.

Transar com Mariza sempre foi um sonho de muitos homens. Era uma loira muito vistosa, um corpo muito bem delineado, as pernas bem torneadas, o bumbum arrebitado e carnudo, muito bom para uma surra de chinelo mesmo, mas eu preferia fazer outras coisas com aquela bundinha saliente e cheirosa. Enfim, Mariza tinha fartos seios, um rosto muito bonito e uma vasta cabeleira loira que chamava atenção de todos.

Com seus 25 anos, teve dois namorados que acabaram cansando das árduas tarefas do uso do chinelo e partiram para outra e num desses dias de eterna solidão, me procurou na agência bancária em que trabalhavamos para resolver um assunto particular dela e acabamos em meu apartamento.

Para dizer a verdade, eu sentia uma certa excitação em dar essas surras de chinelo na Mariza antes da transa, mas confesso que preferia falar alguma coisa mais romântica, ouvir uma boa música, ao invés daquele monátono estalo do chinelo na bunda nua de Mariza.

Para não perder o costume e nem as transas recheadas de surpresas, eu seguia a risco o que ela pedia até que chegou um dia que as coisas fugiram da rotina.

Havíamos combinado dela ir em meu apartamento as 8 da noite, mas por volta das 7 horas, ela me ligou pedindo que eu fosse ao apartamento dela. Ela também morava em um apartamento de dois quartos sozinha e variar sempre é interessante. Sá que, além da mudança de local, ela quis variar também a forma da surra naquela noite.

Mariza comprou, numa dessas lojas que vendem material para sexo um chicote de 6 tiras de couro cru e me pediu que amarrasse ela na cama e desse 50 chicotas em suas nádegas.

Uma chicotada com aquele chicote você sente dor para uma semana inteira, imagina 50 chicotadas bem dada? Eu tentei argumentar, mas diante a negativa de Mariza, fui obrigado a cumprir a tarefa de feitor, aplicando as 50 chibatadas em suas nádegas.

Ela deitou na cama com dois travesseiros abaixo dos quadris, fazendo com que a bunda ficasse bem empinada e por sinal, muito gostosa, atei as mãos e os pés na cama, amordassei sua boca, como ela havia pedido e fomos começamos o castigo.

Como ela sempre reclamava que eu tinha a mão leve, resolvi colocar um peso a mais para ver se satisfazia seus desejos por completo. No primeiro estalo do chicote naquela bunda empinadinha para cima, ela já deu uma rebolada e um gemido abafado, devido a mordaça que não deixava ela falar absolutamente nada.

Coloquei um pouco mais de força na seguda chicotada que estalou alto e deixaram 6 vergões das tiras de couro a mostra naquelas nádegas encantadoras. Mais uma vez ela contorceu os quadris, mas não dei tregua, levantei com vontade o chicote e desferi mais meia dúzia de chibatadas na bunda e nas coxas fazendo com que ela gemesse bem mais alto, não sei se de dor ou prazer, na dúvida, continuei com o castigo.

Outras 6 bem aplicadas e já podia observar os vergões aparecerem com mais clareza. O chicote era desses para amansar burro bravo e como ela era um pouco problemática, aproveitei para domar aquela égua amarrada na cama apanhando na bunda com vontade.

Por volta da trigésima chicotada, perguntei se ela estava gostando, mas ela enfiou a cabeça no travesseiro e não respondeu. Continuei meu papel de feitor levantando o chicote e desferindo os golpes ora nas nádegas que já estavam muito avermelhadas, com tiras cruzadas e transversais e ora nas coxas que também já mostrava os vergões bem acentuados.

Mariza gemia e rebolava a medida que o chicote estalava gostoso na sua bunda loira. Slap, slap, slap... Eu, fui ficando excitado com aquela situação e terminado o castigo, 50 chicotadas aplicadas com perícia, tirei a roupa, deitei por cima dela amarrada mesmo e a penetrei por trás. Sua vagina estava ensopada e a penetração não foi difícil, comi por umas duas vezes aquela bucetinha deliciosa e para variar o cardápio da noite, aproveitei que ela estava atada a cama e amordaçada, penetrei o cuzinho apertadinho que, até então, eu nunca tinha experimentado.

Mariza rebolava como uma verdadeira puta com meu cacete de 19 centimetros dentro daquele cuzinho virgem. Fiz questão de esperar entrar os 19 centimetros para gozar gostoso bem no fundo daquela caverninha misteriosa.

Termida a seção, desatei as amarras e tirei a mordaça de sua boca e ela mal podia falar, tamanha era a dor no rabo que tinha perdido a virgindade e na bunda que estava com uma enorme tatuagem e com as marcas das tiras do chicote.

Antes de levantarmos para tomarmos um banho, perguntei como tinha sido a experiência de levar as 50 chicotadas ao invés do tradicional chinelo. Ainda sem poder falar direito, apenas sussurrou. - na primeira eu mandei você parar porque a dor estava insuportável, mas você continuou.

Pudera, toda vez ela reclamava que eu tinha a mão leve, quando resolvi colocar um pouco mais de força na mão, queixou-se de muita dor. Até para apanhar Mariza dava trabalho. Que garota problemática, meu Deus!





VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto agarrada no onibuscontos eroticos/virgens estuprada pelo padrinhofotos de priguitinhas lindascontos eróticos a enfermeira velhacontos reas de sexo marta minha tiacontos homem casado chupa picq homem casadocunhada ariando a calçinha p mimEu morava sozinho na cidade a filha do meu amigo ela veio do interior pra ela ser minha empregada conto eroticocontos de sexo com novinhas trepando com advogadosconto gaguei mas gostei de dar o cuLer contos eroticos de casais casados fudendo dentro de cinemas com outros homensmae fode com filho contos erticosdando contosporno ex-namorada baixinha olhos claros da cintura da bundona gostosaconto erotico bolinada na infanciaContos porno minha namorada mi engañoContos obsenos da minha infanciacontos de coroa com novinhomulheres nuas e cagando no cu da primapassinho de várias lésbicas se chupando uma volta sem pararNamoradinha gozada contosContos eroticos minhas irmas e minha mae fizeram um gang bang com muitos negoes no sitioComi minhas afilhadas parte 2contos etoticoscontos eroticos arrombando a gordaconto amigo heteroxvideos minha matrasdo nu meu quato sexoconto erotico minha prima dedando meu pruquito a noitecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos de mulheres casadas tirando a virgindade da sobrinha bucetudameus tios uma historia real 1contos eroticos Gay de fui visitar meu tio e ele me comeucontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos arrombando a gordaenteada nua contoscontos casada da na piacontos erotics maduras tias coroasContos erotico marido corno bebedor de porraVideo de uma mulher dansando de causinha verde entrandoenteada novinha conto eroticochantageei e comi a secretariacontos erotcos minha sograminina afuder na pixinavidio muher trasa com homen com pido pequenocontos eroticos que saudade da lingua dela na minha bpraia de nudismo contosminha tia me convidou para jantarcontos tio no carromeu vizinho fica me olhando de shorteu moro sozinha com meu filho e com a minha filha meu filho ele sempre ele me fode meu filho fundendo minha buceta no meu quarto eu perguntei pra ele se ele queria tirar a virgindade da buceta da sua irmã meu filho disse pra mim eu quero mãe tirar a virgindade da buceta da minha irmã eu disse pra ele eu vou falar com sua irmã eu fui conversar com a minha filha eu perguntei pra ela filha você que perder sua virgindade da sua buceta com seu irmão ela disse pra mim eu quero a noite eu levei minha filha pro meu quarto meu filho tava na minha cama conto eróticocontos eróticos convenci meu marido a comer sua filhaEncoxadas discretas no onibus nas ruas pornodoidoContos eroticos forçada a dar para um.cavalo na fazendacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteComtos namorado ve namorada ser fodida pelo irmao delapegando hetero casado conto gayContos eroticos filha rabudacontos erodicos de cabrito macho fazendo sexo com gostosa zoolofiadopando sogra contoscontos eroticos fodi minhas enteada gemeasconto eróticos.estuprando sobrinha mudacontos de sexo com novinhas trepando com advogadoscontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosconto de o negao pirocudo rasgou meu cu sem docontos porno filho do amigo secretocontos eroticos para sua rola ta arrebentando meu cucontos como presenciei um cachorro fudendo uma cadela até engatarcontos esposa bunduda so traz problemascasada dando no rancho contoscontos eróticos - dando carona pra duascontos erotlcos pegando a empregada junto da mamaecontos eroticos com a boquinha cheia de porra incestopelada em casa - contos eroticosconto chupador de peitossadomasoquismo relatos comidavivaesposa de corno contos gosta na caracontos eróticos gay meu meio irmãocontos de mae com consolo comendo cu da filinha bem novinha contos eroticoscontos eróticos a f*** deA mulher do meu amigo gemeu baixinho na minha vara pra ele não ouvircontos eróticos vi minha vizinha dando pro meu cãohttp://comtos eroticos de estupropulando em cima do pau do tio