Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

SENDO ESCRAVO DE DOMME PRETA

Ola! Sou de Recife e já publiquei alguns contos nesta site. Despertei meu interesse por sado justamente lendo os contos deste site. Nos contos anteriores e contei como fui dominado por homens. Machos dominadores gulosos e até por uma travestir super dotada com 23 cm de rola. Porém essa semana aconteceu o inusitado. Ao tc no bate-papo do uol na sala de sado encontrei uma dominadora daqui de Recife. Não era a primeira vez que havia encontrado uma dominadora aqui em Recife. A ultima que encontrei não era muito interessante por isso não rolou nada. Desta vez porem, foi diferente. Eu me apresentei e ela em seguida me enfiou o seu msn.

Começamos a tc no msn. Eu fui me apresentando e ela foi ficando interessada.Ela perguntou que tipo de praticas sado eu gostava. Eu disse pra ela que curtiu tudo, apesar de ainda não haver experimentado tudo. Disse que gostava de levar tapa, ser xingado, levar mijo. Ela porem mostrou-se experiente e disse tambem gostar das mesmas praticas sá que usou os nomes usados no BDSM que sá quem é do meio conhece. Ela disse gostar de spanking, chuva dourada, fistinting, podolatria etc. Fiquei cada vez com mais tesão. Estava diante de uma dominadora de verdade.

Ela mostrou uma foto sua de rosto. Para minha surpressa ela era muito bonita. Então perguntei quando poderiamos marcar uma sessão. Ela, pra minha surpressa disse AGORA. Como ela morava perto da minha casa marcamos para nos encontrar em um estacionamento de um supermercado. Eu me preparei, fiz uma lavagem anal pois ela disse gostar de inversão e tinha um brinquedinho bem gostoso pra enfiar em meu cu.

Ela passou o seu numero de telefone eu tambem dei o meu e fui ao encontro. Eu no entanto havia esquecido de ligar antes e sá pensei em ligar quando chegasse ao local. Assim que parei no estacionamento eu liguei pra ela. Sá que algo me assustou a sua voz era grossa parecendo uma voz de traveco. Pensei comigo "me fudi isso é um homem ou um traveco". Não tinha importancia se fosse um homem de verdade (não gosto de caras afeminados) ou se fosse um traveco, é que havia ficando com tesão por uma DOMMe, eu ainda não havia saido com uma DOMMe de verdade.

Pensei comigo:

_ seria muito estranho se fosse uma mulher, qual mulher marcaria assim algo de cara no primeiro bate-papo pela internet sem nem ouvir a voz do cara sá vendo uma foto, deve ser um traveco mesmo.

Passou uns 19 minutos eu fiquei pensando acho que ela ou ele não vem. Desci do carro e fiquei do lado de fora até que vi uma morena baixinha pernas grossas vindo em minha direção. como eu estava ao lado do carro e eu havia dado o modelo e a cor do carro pra ela, ela logo percebeu que sá podia ser eu mesmo e antes de chegar ja abriu um sorriso. Quando chegou ate mim me deu um beijo me cumprimentou e então entramos no carro e ela ja fou mando seguir pra o motel. Ela disse logo:

_ Não se preucupe não sou nenhuma louca.

Eu estava aliviado por saber que não era um travestir e que não tinha entrado em uma roubada. Porem ela disse me conhecer ou pensar me conhecer perguntou se eu era professor, então percebi que ela me conhecia pelo menos de vista, fiquei nervoso, mas ela disse ser discreta, muito discreta.

Ao chegar no motel ela logo mandou eu tirar toda a roupa. Ela tb tirou sua roupa e ficou sá de calcinha. Mandou eu ficar de joelhos, sentou na beira da cama e deu e um gel pra fazer massagem em seus pés. Massagei seus pés e beijei ela perguntava se eu estava gostando respondi que sim. Ela então me deu um tapa na cara e disse que era pra eu falar direito. Era pra dizer sim senhora. Depois de algum tempo massageando os seus pes e beijando e levando tapas na cara, ela mandou tirar sua calcinha e chupar sua buceta. Cai de boca em sua buceta e chupei bastante.

Depois de um tempo chupando sua buceta me dono se levanta pega um par de algemas coloca minha mãos pra tras e me algema. Manda eu subi na cama e ficar de quatro então vai até a sua sacola e tira um consolo tamanho médio (uns 19 ou 19 cm) coloca o consolo preso a uma calcinha e começar a enfiar no meu cu. Eu delirei de tesão. Ela vai aumentando as bombadas gradativamente até que eu cai na cama mas ela não para. Enquanto me fude ela da tapas em minha bunda até que eu não aguento mais e gozo fartamente.

Minha dona então tira as algemas da minha mão e manda eu lamber a porra e ficou no lençol, obedeci sem questionar. Depois manda eu voltar a chupar a sua buceta. chupei sua bucetinha sem parar até ela gozar.

Eu me levantei e fui ate o banheiro tomar banho ela veio logo em seguida e disse:

_ Ainda tenho uma surpresa pra vc fica de quatro.

Fiquei de quatro no box do banheiro em minha dona mijou fartamente em minhas costas. Foi uma delicia. Depois desse dia virei escravo daquela bela morena de pernas grossas, bumbum redondo e seios fartos. Estou ansioso pra marcar outra sessão com ela. Já combinei até de comprar um brinquedinho maior (um consolo maior) pra ela comer meu cu. Ela tambem disse que adoraria me fistar. A proxima sessão que tiver com minha dona e senhora DOMMe preta contarei como foi.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eróticos adoida te insistir comi minha tiacontos traindocontos eroticos rabuda da terceira idadecontos eróticos com vários cachorroscomendo a veia crente contosconto negro taradoconto erotico estuprada na escolavideo porno brasileiro caseiro dei a minha buceta para o meu sogro fome gostosocontos eroticos brincadeira nudista em familiaTirei a virgindade da buceta da minha empregada com a minha cinta com pau de boracha conto eroticopeguei no pau duro e acabei chupandoconto eróticos lábios românticosConto erotico so a cabecinhaecotra coroa que.evie vido sexo avivoporno.com.negra estupradopau gradeRelatos eroticos de professoras casadas brancas que foram usadas por alunos negrosConto erótico Sempre fui mas ele descobriurola gigante para meu maridopeguei minha sigra dormindo sem calcinha e meti a pica nelaContos eroticos escravos de travestiscontos eroticos gang bang com os molequescontos eroticos incesto papai mim fez chupar sua rolagostosa qee depois de levarvarias encoxada persebeu qee ta toda gozadacontos eroticos papai fudendo a filhagostosao aguenta doi pipinos no cúela cozar e jama ele de cornopiercing no mamilo da priminhaContos eroticos sou putinha do vovocontos eróticos genrocontos eroticos arrombando a gordacontos esfrega buc gozada corninhocontos eróticos pular pulacontos de pura putaria entre pais e fgostosa uzando topinho pornminha tia travesti contoscontos er irmas vizinhaGozou dentro contos eroticosContos eróticos uma menina virou putinhaele ama xupa meus peitinho contos travestidesmaiou quando o caralho enorme do negro entrou no cumorando sozinho com irman gostosa contocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentesegurou a filha para tirar cabaçoconto erotico de lesbica chupando a novinhacontos eroticos nifeta d loja rjrelatos de casadas que treparam vom suas cunhadsscuzinho da mae contosvideo de jovens travesti praticando incesto com padrastomeu pai chupou minha bucetinhacontos eróticos excursaocontos eróticos sobre sobrinhabucetudaconto erótico indo morar com maeiContos eroticos noviça virgemxvidio.esfregando o pau so no short vermelinhoconto gay sou macho me encoxaramcontos eróticos traição a amiga gostosa da minha mulher ela me deu a chave do apartamento delaconto erotico o negro e a enteadacontos de homem que comeu a sogra e a esposaContos eroticos traindo marido na festasogra cumplice- conto eroticocontos eroticosmeu irmao gêmeo contos eróticos a coroa casada o estrangeiro conto porno olhando negro dotadoporni contos mae da namorada na picinacontos eroticos de pau gigante arregassando bucetasexo brasileiro com irmazinha gostosa na hora da malhaçaocontos eróticos de lésbicas masoquistasConto erotico o cu da minha filhaconto de o negao pirocudo rasgou meu cu sem domassagem contos genroComo fazer a mulher se apaixonar pegando a calcinha delaIncesto com meu irmao casado eu confesso