Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A MULHER DO MÉDICO E O MENDINGO

A MULHER DO MÉDICO E O MENDIGO.





Em uma cidadezinha do Norte de Minas Gerais, residia um mendigo chamado Fernando Piolho, que segundo muitos comentários era bem dotado, sexualmente falando, pois, era possuidor de uma Geba bem grande, bem dotado, com aproximadamente quase trinta centímetros, o seu membro; um verdadeiro monstro. Comenta-se na localidade que ele era acostumado colocar vacas e ovelhas para urinar, em decorrência da potência e exagero do seu mastro.

Certa época ele pegou uma menina daquele tipo “fogosa” da cidade, que apás ter penetrado a sua vara nela, a menina não aguentou e defecou na hora do ato; mijar era comum com todas as mulheres que ele comia, um verdadeiro jegue. O Piolho residia em um casebre na periferia da cidade, e se mantinha através de esmolas que recebia de algumas pessoas, porém a sua fama de picudo circulava pela cidade e muitas mulheres quando o via, sentia aquela tesão e vontade de mijar no pau do cara. Em um determinado dia a mulher de um médico renomado na cidade, a Lucidalva, comentou com sua amiga Carla, em um salão de beleza, que gostaria de ver a pica do Fernando Piolho e sua amiga lhe confessou o mesmo desejo. Apartir desse dia, elas sigilosamente começaram a arquitetar um plano para realizar tal desejo, mas como diz o ditado, “quem procura acha”, elas já com seus planos traçados, saíram pela periferia da cidade, sendo que o marido de Lucidalva teve que viajar para uma cidade vizinha, onde estaria participando de um plantão médico em um determinado hospital. A Lucidalva pegou o seu carro, um corola, com vidros fumê e foi ao encontro de Carla, saindo juntas com o objetivo de encontrar o tal do Piolho. Já se aproximava a noite, era dezoito horas quando elas adentraram em uma estrada de barro, bem práxima a um riacho ali existente. eis que, de longe avistaram o parrudo. Ficaram doidas de tesão, a expectativa era enorme, era medo aliado com aquela vontade imensa de realizar aquele sonho; a Carla esperta aproximou-se do homem e o convidou para entrar no carro saindo de imediato, apesar do lugar, naquele momento, tipo desértico. Carla disse ao Piolho:

- Piolho, pode entrar, não tenha medo, temos aqui, cigarros e alimentos pra você!

Momentos em que, elas já deram a partida no carro, saindo em disparada; no interior do carro, as duas mulheres estavam a ponto de incendiarem, em razão da oportunidade de caírem na vara do mendigo.

Por sua vez, o homem estava sem entender o que iria lhe acontecer, estava ali, no banco do passageiro, quieto, com seus trajes sujos, maltrapilho, com um cheiro horrível, cabelo e barba por fazer, mas o desejo das duas mulheres falava mais alto.

- Escuta dona, onde ocês ta me lavando, cadê os pãos e o cigarro?

Perguntou Pedro.

Elas disseram quase que ao mesmo tempo:

- Calma Pedro, nás vamos te dar!

Minutos depois chegaram a um pequeno rancho pouco afastado da cidade que era de propriedade do Doutor Estevam o marido de Lucidalva, entraram pelos fundos e o carro ficou estacionado dentro da garagem do rancho que estava desabitado já há algum tempo. Elas tiveram dificuldades em abrir a porta dos fundos, em razão da ansiedade, errando o buraco da chave algumas vezes, até abrir. Entraram os três, para o interior da casa, fechando assim, a porta do fundo, e o Pedro estava encabulado, não falando nada, foi quando Lucidalva foi logo dizendo: - Pedro, não vamos lhe fazer mal, sá queremos ver sua pica!

Ele meio assustado respondeu: - Ocês num guenta ela! E as duas ficaram cheias de tesão onde Carla resolveu tomar a iniciativa, abaixando a calça do cara e ali ela já sentia o grandioso volume da pica do Piolho, tempo em que elas sentiram aquele cheiro forte, uma mistura de urina com suor. Quando ela retirou a pica do cara, a Carla afastou-se mais ou menos um metro de distancia, dizendo:

- Vixe... Cruz credo, esse homem é um bicho uai!

Lucidalva por sua vez, disse o mesmo – Não tem mulher que aguenta isso dentro dela!

Mas mesmo assim, elas empurraram Pedro Piolho para dentro do banheiro, dando-lhe um banho com sabonete e xampu, naquele instante a pica do cara dobrou seu tamanho, quase que atingindo o chão. Elas ficaram de joelhos e começaram a chupar aquele mastro preto, o maluco gozou juntamente com as duas, jorando um jato de porra, banhando aquelas putas. E naquele momento Lucidalva falou: - Carla, nem que eu me estrepe, mas quero essa porra dentro de minha buceta. De imediato a Carla pegou uma toalha de rosto e amarrou-a na pica de Pedro ajudando na penetração na buceta de Lucidalva, a Carla segurava a pica de Pedro fazendo aquele vai e vem, segurando, para sua amiga não ser estrupada. Naquela hora, a Lucidalva descabelava, gemia, urrava e gozou na primeira estocada, mijando em seguida na pica do Pedro, ao tirar a pica, ela saiu toda cheia de sangue, devido ao movimento dentro da vagina. Momentos depois, chegava a vez de Carla que antes pediu para Pedro chupar seu cú, logo na sequência ele empurrou seu pau na buceta da moça, entrando até os pêlos do saco, Carla bufava, liberando gases pelo cú, estremecia o corpo todo, ficando tremula, quando o Pedro tirou o pau, Carla desmaiou, deu uma espécie de passamento, mais devido ao desgaste físico e mental apás ter tomado aquela rolada enorme, onde a pica feriu o seu útero, mas logo ela se restabeleceu. Já a Lucidalva estava toda arrombada, com sua buceta feito uma pimenta, mas para finalizar a Lucidalva resolveu dar o cúzinho para o monstro, pedindo para a Carla segurar a toalha que novamente amarraria no mastro do cara, impedindo as estocadas mais fortes. Quando Pedro colocou a cabeça, essa mulher endoidou, gozando forte, gritando alto, com xingamentos: - Coma filho da puta... coma jegue...

O que culminou com Lucidalva defecando no caralho de Pedro, saiu do seu cuzinho, um liquido amarelo, em uma espécie de diarréia, melando aquele cacete e foi configurado que foi fezes mesmo. Depois do ato realizado, elas saíram, já era noite e deixaram o Pedro perto do seu casebre. Depois deste, aconteceram mais uns encontros o que resultou em que Carla teve que fazer um tratamento ginecolágico em Belo Horizonte, pois, ela teve um alargamento vaginal inflamatário e devido ao fato de ter vazado esses encontros, a família de Lucidalva mudou-se em definitivo para a cidade de Uberlândia, para abafar o caso do mendigo que comeu a mulher do médico.



BRAW.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Olha so pai como ta minha bucetinhacontos eroticos homens que usam calcinhacontos eroticos arrombando a gordaContos eroticos incentivei minha mulher a dar pro patrão delaConto fui passia na casa da minha tia e conheci minha prima travesticontos eroticos aprendendo a fazer meu primeiro boquete com meu padrinho velhopraia guaratuba contos sexovoyeur de esposa conto eroticocontos gay casado com o cu arrombado chega emcasacontos eróticos homem fudendo a mãe do melhor amigoboquete mulher de 48 anos contoconto erótico de padrasto tiratrepando pau sua p*** prepara para o sábadoincesto meu sobrinho contos eroticoencoxada no onibus conto eroticocontos erotico sobrinha novinha mais muito safadinhacontos eroticos arrombando a gordaContos eroticos da mamae ensinando filho a namorarcontos eroticos velhos com meninascontos erroticos de incertos filha amante do video porno mulher do meu amigo de chotinho na festa casa dele realidadecontos eroticos minha sobrinha peituda teen escravaeu humilho meu marido beijando com porramulher saFada deixa cachorro chupa sua xNa3amigo chupa paus amigoscontos eróticos com meu querido irmãoContoe d orgias cadelinha e seu donocontos erótico comi minha irmã casada gostosameu cu agora so de papai e mamae sabe contos gaycontos - leitinho do tioContos eróticos d homem com éguacontos de mulheres ninfomaniaca por sexotive que dar contos eróticoscontos eroticos minha esposachupa o patrao no escritoriover contos eroticos de incesto comendo a sogra na praia de nudismoConto erotico tudo por meu filhotanguinhas molhadas contos eroticos reaisvideos de porno sogro cardando a moracunhado insistiu ate da uma rapidinha com a cunhadabocetadacotos.eroticos.de.comnovinhas.xorando.navaracomi minha mana casadacontos enquanto dormia comi minha irma e suaporque.que.depois.que meu namorado chupou os meus peitos eles ficaram com o bico descacandocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteFilinha chupa pau do papaiameu pai batendo punheta.eu foi fala com ele e ele madou eu bate pra eleComtos casadas fodidas pelo filho novinho do vizinhoSo contos eroticos com maridos violentos sadomasoquismodevagarsinho entrou tudo no cuzinho contoscontos eroticos traindo marido no futebolcontos eróticos minha buceta aregacada entregou que traidoeu meu cu entreu a maoencoxando rabuda no trem casa dos contosjovem mostrando os pelinhis fino ds bucetacontos de velhos mamando seios bicudoshomen em purra seus ovos no cu de brunaconto erótico de corno chupador de arrombadaxexo porno menino dado umaio namenina infiando odedo nabucetinha delacu peidão conto gaycomendo cusinho da baba da minha.sobrinhaContos eroticos da mamae quer ajudar filho a semastubarmulher dando a buceta no salao da foliacontoseroticos desde pequena adoro dar o cuzinhoconto erotico de fui comida pelo amigo do meu esposo insperadamenteconto erotico gay meu amigo rasgou meu cuconto minha tia timoda no banho conto erotico/12aninhosviajei a noite com minha cunhada dei remedio pra ela dormir e comi ela contosTirei o cabaço da minha entiada e sua mae a ajudou para nao doer muitocontos eróticos gay com monstrosminha prima e uma jebacontos orgia com jogadoresconto. a sugadora de. porracontos eróticos comedor a família todacontos eroticos familia mae pelada irma nuaFinquei o pau no cu da manacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crente