Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

QUANDO COMECEI A TER TESÃO POR ZOOFILIA...

Engraçado como muitas pessoas fantasiam certas fodas ao ponto de dizerem que numa primeira vez conseguiram acomodar um cacete descomunal de um jumento no Cu, as vezes chego a duvidar de tais relatos, pois praticante de zoofilia desde os meus 19 anos, sei muito bem o quanto mede um pau de um jumento, para quem não sabe é bem mais grosso e grande do que o de um cavalo e quando gozam chega a encher quase dois copos americanos de porra viscosa, grossa e com um odor indiscutível de sexo, porra esta que muitas vezes me esbaldei no sitio aonde me criei, sei que somente uma pessoa com uma boa dilatação anal é capaz de suportar uma jeba equina no Cu, as vezes sendo até difícil de abocanhar a cabeçona do pau com a boca, consegui esta façanha apás varias tentativas, mas somente com cacete de cavalo, já que a chapeleta do pau de jumento é bem maior, neste ultimo eu sá lambia e sugava o canal da uretra pois não cabia na minha boca, no cu até hoje eu não consegui suportar um pau cavalar, me contentava em apenas receber as pulsadas dos cacetes dos cavalos e dos jumentos na minha bunda e na porta do meu cu faminto porém, apertado para estes deliciosos paus....mas como tudo começou ?

Nasci e me criei num sitio no norte do Brasil, aos 08 anos fui molestado pelo caseiro dos meus pais, um senhor moreno de 60 anos que me fudeu várias vezes e me mostrou o caminho da zoofilia... ahhh, o Sr Juvenal era um pernambucano separado da mulher e aos 40 anos foi trabalhar para meus pais no sitio aonde nás morávamos, era calado, trabalhador e muito prestativo, morava numa casa de pau á pique no meio do pasto aonde ficavam uma montoeira de coisas como remédios para os animais, maquinas agrícolas, ferramentas, rações e sementes, as vezes quando meus pais precisavam dele, mandava eu o chamar, e num destes dias eu o vi nu pois estava trocando de roupas para poder jantar lá em casa e como tinha apenas 08 anos fiquei “abismado” com o tamanho do pau dele e por ser cheio de pêlos diferente do meu, fiz um monte de perguntas queria pegar mas tudo na maior inocência, cheguei até a comentar na frente dos meus pais que eu tinha visto o “pipi” do Sr Juvenal e que era muito feio, o coitado levou uma bronca e prometeu à minha mãe não ficar mais pelado na minha frente, desde este dia eu fiquei curioso pra saber porque o pipi dele era diferente, mas ele dizia que quando eu crescesse o meu iria ficar daquele jeito, mas eu queria saber mais então ele brigava comigo e dizia que iria falar aos meus pais e que eu levaria uma surra, um dia cheguei a fazer chantagem, dizendo que falaria para minha mãe que ele ficou nu na minha frente se por acaso ele não colocasse o pau dele pra fora para eu ver, não aguentando minhas frequentes perguntas e minha curiosidade e creio eu que também o tesão ele cedeu, deixou eu pegar, apalpar, e fui ficando mais safado, balançava e apertava aquele monte de nervos pretos e cheio de veias salientes no qual se sustentava um saco grande com bolas enormes então percebi que ele gostava daquilo pois seu cacete ficava duro, começou a pegar no meu pau também e bolinar no meu cuzinho liso de criança, aquilo me dava uma sensação boa, ele tirou meu short e me colocou de quatro apoiado em uma “cangalha”(tipo de sela artesanal ), foi numa das prateleiras da sua cozinha e pegou um pote de mel, lambuzou seus dedos e passou no meu cu, que neste momento não sabia porque, estava piscando que nem vaga-lume em noites escuras, então senti sua língua a desbravar meu rabo com uma vontade animalesca, ouvia seus urros e as investidas fortes daquela língua querendo invadir minha alma, senti algo estranho, não sabia oque era prazer carnal, mas aquilo era muito bom....

O Sr Juvenal então se deitou de peito pra cima com aquele pau enorme que me assustava pois não consegui imaginar naquele momento como meu pinto chegaria um dia a ficar como aquele dele, me puxou e mandou ficar de cácoras na sua cara, sua língua me penetrava até aonde ele conseguia ele lambia meu cu como eu lambia as colheres de pau suja de melado quando minha mãe os fazia, não se contendo mais de tesão ele começou a enfiar aqueles dedos grossos e calejados no meu cu, no começo senti um desconforto era como que estivesse “cagando pra dentro”, mas eu também estava extasiado pelo tesão, de repente aquele homem com cheiro forte de trabalhador que fumava cachimbo com tabaco de corda levantou e vi no seu rosto um sorriso malicioso quando ele enfiou seu pau latejando dentro do pote de mel e me pediu para mamar aquele cacete que escorria mel juntamente com um liquido viscoso, como se eu fosse um bezerro faminto quando mamava nas tetas das vacas, assim o fiz, claro que sem pratica nenhuma, sempre gostei de mel então comecei a chupar aquele pau que mal cabia na minha boca, as vezes o Sr Juvenal era bruto, puxava meus cabelos quando eu encostava os dentes na cabeçona do seu pau ou socava de uma vez na minha goela aquela jeba preta, enquanto fudia meu cu com os seus dedos lambuzado também com mel quando bruscamente ele acelerou os movimentos de vai e vem do seu cacete e falou que o que saísse do seu pau na minha boca era para eu engolir tudo, foi quando senti o corpo dele tremer, ele se esticava como minhoca no asfalto quente e começou a urrar como uma vaca parindo em seguida senti apenas 03 jatos de um liquido viscoso, com uma mistura de amargo, salgado, azedo e doce na minha goela, no inicio me deu vontade de vomitar mas ele fechou minha boca atolando aquele cacetão lá dentro da minha goela, aqueles 03 jatos eram suficientes para encher uma xícara de café, eu queria mais brincadeira mas ele pediu para me vestir e irmos no igarapé (rio), tomarmos banho, perguntei porque aquele mijo que saiu do seu pau era diferente dos outros mijo que eu já tinha visto, ele com um tom meio medroso disse que quando eu crescesse e ficasse com o meu pinto cabeludo igual o dele eu iria saber, me pediu as vezes me ameaçando que se eu contasse para alguém eu iria apanhar dele e jamais iria deixar eu brincar com seu pau de novo, prometi e assim o fiz nunca contei a ninguém sobre nossas brincadeiras pois teve muitas outras que irei contando com o tempo a todos deste site, inclusive quando ele arregaçou meu cu me deixando quase 19 dias com medo de cagar de tão dolorido que meu rabo ficou apás ser fudido freneticamente por aquele pau cavalar....

Terei relatos também nas sessões de zoofilia, incesto e gays e se você gostou dos meus relatos saiba que são veridicos e se curtir fodas bem safadas é sá me escrever....sou moreno claro, 1.77cm, 82 kg, nada afeminado e nem curto, muito puto e depravado....meu email é [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


porno uma casada no onibus fica excitada com outro na frente do cornoconto erotico meu filho meu machoChat Amo sexoavivorabuda e safada incesto contosConto erotico garota com cachorrocontos nao tinha camisinhaeu e meus amigos batemos punheta escondidoconto erótico currada pelo fazendeirocontos eroticos arrombando a gordacontos buceta assadaSexo anal "nunca mais fui a mesma"conto erótico conhecendo o casal submissoconto erotico filha de comedor e putacontos porno de corno compartilha esposinha branquinha na viagem de onibus com negros hiper dotadosconto erotico eu e minha sobrinha amanda safadinha em casaTitias esperientes c. sobrinhos videos.Conto herotico lesbica entre mãe e filhinhacontos eroticos marido querendo que mulher foda com outro para ele chupar ela em seguidacontos: sentei no colo do velhocontos eroticos gay novinhocontos eroticos arrombando a gordanovinha de 13com peitinhoFomos a um churrasco bebemos muito e aí rolou contos eroticosgay doido por rola ..Quando ver uma ao delíriocontos passando pomado no cu da mamaecontos com priminha safadinhas de dez aninhosgrelo 4cm contoscontos eroticos rasgandocontos minha irmã cuzudaperdi meu cabaço da buceta pra um cavalo contoscache:o2QtLYsJB5EJ:okinawa-ufa.ru/conto_23564_totalmente-submisso-a-minha-dominadora.html coroas enxutas se masturbando com tocas na cabeçazoofilia gay extraordinárias bizarrostraveco dominando e excitando macho em banheiro, contos com fotoscontos eroticos bem safados e essitante arronbarao meu cusinho com um pepinobanho com a tia velha contowww.contos eroticosmeu pai me fazendo carinhomia bucetia piqinia papai arobou q gostozo pau de desde miniapagando conta cartonsex familiacontos eroticos arrombando a gordarelatos de novinhas que fuderam com o cunhadoContos eróticos de Gay O Amigo do meu Pai Comeu Minha BundinhaContos minha namorada da bundona grandecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteirmazihas safadas locas por sexconto casada pinto itu cornodei buceta na estradatraveco dominando e excitando macho em banheiro, contos com fotoscontos eróticos homens cortando cabelo de mulherEMPREGADA FAZENDO MALDADES COM A FILHA DA PATROA CONTOS EROTICOSseios da esposasaindo fora da blusa no sexorapaz muito gostoso transando com outro rapazbonitocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecomi o cu da velha no becocontos de corno surpresa e flagra na minha esposalora da freti fudedover menina mostrando ofundo da causinha porquequecontos eroticos arrombando a gordacontos fui chupa a bucetinha da minha amiguinha na infancia ele mijou em minha bocapode me chama de de puta decachora e salientewww.contos eroticosgabi e o coroa.comsou loira engravidei gozoi dentro favela contos eroticosConto surpreendi meu maridoconto erotico arrombei o travesti do baile funkcontos erotico com deficienteComtoerotico pequenina de sainhaContos Estuprada por um machocontos eroticos mim arreganhei pra papai e ele caiu de boca na minha bucetacontos eroticos familiaConto erótico pausudo capixabacontos enterra tudo devagarinho no meu cuzinhoconto erotico funk