Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FODENDO NA SALA DE AULA



Olá, meu nome é Paula (nome fictício) e sempre fui uma leitora assídua de contos eráticos. Eu mesma já tive várias experiências sexuais deliciosas mas nunca tive coragem ou até mesmo vontade de compartilhar. Mas hoje resolvi contar uma das várias loucuras que já fiz por causa de tesão descontrolado. :)



Esse fato aconteceu a uns 5 anos atrás, eu fazia faculdade de Letras e estudava no período da noite, mas eu também era estagiária e trabalhava lá na parte da manhã. Na parte da tarde eu geralmente ficava de bobeira pela faculdade ou até mesmo ia malhar na academia. Um certo dia, um amigo que também era um ficante me ligou perguntando se eu estava de bobeira porque ele tinha saído do trabalho mais cedo e não tinha nada pra fazer. Ele se chamava Wesley, era moreno, alto, tinha olhos verdes, cabelos curtos cortados no estilo de soldado, corpo sarado, coxas grossas, e uma bunda que eu adorava. O cara era um tesão, sá de eu olhar pra ele a minha buceta já melava.



Nás éramos muito amigos mais o tesão que rolava entre a gente era algo incrível, a gente não conseguia se encontrar sem rolar umas sacanagens. Pois bem, eu disse pra ele que eu estava de bobeira e que se ele quisesse poderia me encontrar la na faculdade. Em meia hora nos encontramos na quadra poliesportiva e ficamos conversando sobre coisas sem importância. Como era a primeira vez que ele ia lá na minha faculdade resolvi mostrar o campus para ele e fui mostrar minha sala de aula que ficava em um dos blocos mais isolados do campus.



Entramos em uma sala vizinha a minha e ele começou a falar que estava com saudades de mim, que já tinha um tempo que não ficávamos juntos... Como a recíproca era verdadeira e eu também tava louca de vontade de transar com ele de novo, não me fiz de rogada, cheguei mais perto e disse : “ to aqui, mata a tua vontade”. Na mesma hora ele veio me dando um beijo delicioso e passando as mãos na minha bunda e nas minhas coxas, eu mais que depressa agarrei ele pelo pescoço e correspondi o beijo apertando é claro aquela bunda que eu amava. Eu estava usando um vestido colado ao corpo de tecido bem fino, era curto o que realçava bem as minhas coxas e uma calcinha bem pequena. Ficamos nesse amasso durante alguns minutos até que ele me colocou em cima da mesa do professor e aos sussurros falou no meu ouvido que eu estava uma delícia com aquele vestido e que ele estava cheio de tesão. Eu já tinha percebido o volume na calça dele e claro que já tinha dado uns apertões no pau dele por cima da calça. Eu olhei nos olhos dele e ao mesmo tempo eu abria a calça dele e coloquei pra fora aquele pau tesudo que eu já conhecia tão bem, quando fiz isso ele suspirou mais alto e eu começei a bater uma punheta gostosa nele enquanto ele ia tentando abrir o zíper o meu vestido. Eu parei ele e coloquei as mãos dele por baixo do meu vestido e o fiz segurar as laterais da minha calcinha dizendo que era aquilo que ele tinha que tirar. Ele deu um sorriso sacana e começou a tirar minha calcinha enquanto eu punhetava o pau dele, quando ele tirou eu me abaixei e começei a chupar o pau dele, comecei lambendo a cabeça bem devagar, passando minha língua pela extensão do pau, passava os lábios sugando o melzinho que saia do pau dele... ele gemia e segurava minha cabeça pedindo pra eu colocar tudo na boca e mais que depressa obedeci pois eu já estava muito melada louca de vontade de levar ferro. Coloquei o pau dele todo na boca e comecei a chupar com movimentos firmes enquanto eu punhetava ele ao mesmo tempo... ele segurava minha cabeça e me forçava a engolir o pau todo me fazendo engasgar as vezes. Ele me chamava de puta, gostosa, dizia que eu mamava gostoso e continuava fudendo a minha boca metendo como se estivesse comendo minha xota. Quando ele acelerou os movimentos percebi que ele estava quase gozando e me empenhei pra ele jogar aquela porra toda na minha boca, mas ele me fez parar dizendo que ainda não estava na hora. Mas que depressa eu, subi novamente na mesa do professor e pedi que ele me chupasse gostoso pois eu queria gozar na boca dele. Ele me empurrou pra tras, me fazendo deitar e começou a me chupar com gosto, eu gemia e me contorcia na boca dele, e ele metia fundo a lingua em mim, como eu já estava com o tesão a flor da pele por ter chupado o pau dele ( o que eu amo fazer), o gozo veio fácil e em pouco tempo senti meu corpo se contrair e gozei gostoso, disse pra ele tomar todo o meu melzinho no que ele respondeu que eu também tinha que sentir meu gosto... ele me levantou e me deu um beijo me fazendo sentir o gosto do meu gozo. Adorei!



Sem pensar, eu virei de costas pra ele, me debrucei na mesa e ofereci minha buceta para ele, pedindo pra ser fodida. Ele segurou na minha cintura e se encaixou atras de mim, como minha buceta estava enxarcada com meu práprio gozo não ofereceu resistência e ele meteu tudo de uma vez. Dei um gemido de dor, pois apesar de estar bem molhada senti um pouco de dor e não esperava de ele meter tudo de uma vez. Mas logo esqueci a dor quando ele começou a bombar gostoso dentro de mim. Eu abri mais as pernas pra que ele pudesse meter mais fundo e comecei a rebolar naquela pica quente e dura. Nessa altura nás já tinhámos nos esquecido onde estávamos e gemíamos sem medo algum de alguem nos pegar, ele ia metendo cada vez mais forte, mais fundo, segurava a minha cintura, me chamava de cadela, puta, piranha. Eu adorava e ficava com mais tesão a cada xingo dele. Eu alucinada de tesão sá pedia: Mete fundo na sua puta, me come gostoso, me faz gozar no te pau seu filha da puta.



Meu tesão era tanto que gozei como uma puta no pau dele, meu corpo tremia violentamente embaixo do corpo do meu macho e eu sá curtindo o prazer de ser fodida daquele jeito delicioso. Wesley sentiu que eu havia gozado, segurou mais forte minha cintura, colou a boca no meu ouvido e entre gemidos disse: gozou né sua vadiazinha, agora é minha vez, vem puta vem tomar o teu leite. Eu me abaixei e abri bem minha boca e sá senti os jatos de porra batendo no fundo da minha garganta, ele gozava e urrava como um animal segurando minha cabeça e jogando porra na minha boca. Eu como uma legítima cadela engoli a porra olhando pra ele com cara de puta e ainda chupei o pau dele todo pra limpar a porra que sobrou.



Nos arrumamos e nos preparamos para sair da sala para voltar para a quadra, quando já estávamos perto da escada, olhei para trás e ví o Nelsinho, o funcionário da faculdade responsável pela limpeza saindo da minha sala de aula e entrando na sala onde eu tinha acabado de fuder com o Wesley...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos vizinha dona de casa tetuda caidacontos eróticos abusada virgemamanda meu marido.é corno mesmo contoscontos de rabudasContos reais de mulher com cachorrocontos eroticos eu e minhas amiguinhasiVideo porno de duas coroas de 45anoa saindo juntas pelaprimeira vezcontos minha mae baixinha gostosacontos eroticos arrombando a gordacontos erótico eu e minha loirinha e um negao de 32 parte 2contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos de velhos viúvos comendo meninos gayjapinha.de.baixo da mesaComtos casada puta dos vizinhoscontoseroticos veridicos de mulheresContos d uma menina estrupada por taxista"klaudia kolmogorov"cantos historias transei com minha sobrinha de 11aninhoscontos de sexo bebada depiladacontos bdsm erposas escrava submissasexo na infanciacom tio contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos.gay chupando pau do pedreiro coroa safadoarromba contos incestotransei com amigo da minha filhacontos eroticos a enteada putinhamulhe cagando contoContos comi a mulher de amigo bebadacontos eroticos cu e bucetacontos a novinha comadre carentemulheres gostosas bundão empinado com roupa do quartelRespira fundo e relaxa que vai entrar no seu cucontos eróticos corno mansocontos eroticos dividi minha mulherconto esposa gozadacontos eroticos espermaporno velho cafetao ajeita macho pra mulhet de cornopapai viajou eu assumi a casa,contos eróticosmulher emsabuando bucetacontos eroticos treinamentoConto eróticos ônibus em teresinarelatos sexo eu e minha filha novinhacontos eroticos punheta no.onibusminha cadelinha zoofilia contoscontosnegra atola a rola e ela da pidofoda cadela mijo gostos vidio zofilagritando e pedindo pra nao botar pois doi pra nao perde o cabacotesudas contocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos acordar minha filhacontos dona florinda chaves pau durocontos eróticos de padrasto comendo enteada ainda bem pequenaa prima camila da minha esposa conto realcontos erótico de coroas casados trancando com novinho BA baladasquero comer minha maecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontostesudoscontos eroticos meninas filhinhas subrinhas priminhascontos eroticos arrombando a gordaenrabaram minha sogra contosconto eu meu filho e meu pai cumemos minha esposa rabudaContos eroticos gay primeira vez traumaticacontos eroticos minha priminhameutio metirou cabacoIncesto com meu irmao casado eu confessoContos eróticos genrominha cunhada me suprendeu contosComi o cu das minhas irmas. Contos com fotoskiko masturbando a chiquinhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentelevou a esposa inocente pro swing. na casa de um. amigo. contocontos eroticos curiosaPorno sauna com loira e a namorada ciumentacontos incestos c estrupos irmao c irma bem dotadoscontos eróticos com mamãecontos eroticos de pai e filho travesti bundudo