Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A PATROA E A BABÁ NINFETA

A PATROA E A BABÁ NINFETA



“Márcia acordara inquieta naquela noite. Imagens eráticas dominavam seus sonhos e ela tivera que se masturbar freneticamente, para que seu fogo fosse aplacado. Pela manhã, ainda meio bêbada pelo sono não satisfeito, dirigiu-se ao banheiro de seu quarto e começou se lavar. Nua, passava as mãos pelo seu corpo, estremecendo ao contato de sua prápria pele. Um novo calor incendiou suas entranhas, levando a tocar-se novamente. Os seios, um a cada vez, eram apertados, puxados. Os mamilos, retorcidos. A boceta, molhada com os dedos a disputar um lugar naquela grutinha quente e melada. Um, dois, três eram enfiados de uma sá estocada, enquanto o grelo era dedilhado com sofreguidão. Márcia era a imagem do desespero. Um desespero carnal. Uma ansiedade compulsiva pelo gozo redentor e relaxante. Seus olhos, fechados, não perceberam outros, que pela fresta da porta, a observavam. Era Rebeca, a babá que tinha vindo do interior, cuidar do filho pequeno de Márcia. Rebeca era a falsa inocência em pessoa. Com cara de ingênua, exalava uma sensualidade à flor da pele. Exagerava nos decotes e no pouco comprimento das blusas e dos shortinhos. Márcia havia pensado em reclamar, preocupada com desejo de seu marido, mas terminou deixando para lá, sem perceber que inconscientemente, admirava aquele corpinho tenro e sapeca. Ali, no banheiro, enquanto gozava, Márcia lembrou de Rebeca, imaginando como seriam aqueles seios, que quase sempre estavam à mostra. Como seria a totalidade daquela bundinha, que vivia empinada, como que se oferecendo para ser penetrada? Como seria aquela bocetinha, que mostrava-se sempre repartida e inchada, através das roupas apertadíssimas que Rebeca usava? Enquanto enfiava um dedo em seu práprio cú, Márcia desejou ver o cuzinho da outra. Imaginou-o à sua frente, à sua disposição. Rosado. Limpinho. Impenetrado ainda. Ansiando por uma língua, qualquer língua. Por que não a de Márcia? E Márcia atendeu a esse pedido, agarrando, em sua mente, aquela bundinha. Cheirava-a, lambia. Tocou com a ponta da língua o cuzinho tão desejado. Tornava a língua a mais dura possível, para penetrá-lo, enquanto seus dedos já sondavam a bocetinha virgem de Rebeca, esfregando o grelinho ainda pequeno, tímido pelo pouco uso. Como em transe, Márcia imaginava ainda o rosto de Rebeca, contraído pelo prazer recebido, tenso pela liberação do tesão reprimido. Márcia então gozava mais uma vez, imaginando sentir o gosto do gozo de sua Rebeca imaginária. Por trás da porta, observando a cena, mas sem desconfiar de sua prápria participação, a real Rebeca também tinha o seu primeiro e merecido gozo, pois começava a aprender, com a fogosa patroa, a explorar o seu corpo.”

[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erotico me fuderam no estádio otadofofinha putaria goiania contosconto erotíco fui sedusida nova e gosteicontos eroticos eu ea minha mulher gostamos de rolascontos incestos eu comi minha vovóAcordei com o cuzinho cheio de porra contosContos meu prefeito me comeu com fotoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteme fode jb. contoscontos sacudo e casal safadoConto porno marido repartindo a mulher com cachorro de rua zoodei pra um dog bem dotado me arromboporno putinha magrinha i e minha sobrinhaconto sexual com cadela zoofiliacontos eróticos comi minha amiga skatistacontos eroticos de despedidas de solteiracontos safadezas com a tia casada inrrustidacontos er gozando na boquinhacontoseroticos eu minha maeContos eroticos da mamae gostosa e filhoContos eróticos menininha putinha com rostinho de anjorelatoseroticos invasoes e estrupoconto erotico transei com uma velha deficiente especialcontos eroticos o porteiroviajando de calça leg contos eroticoscontos eroticos gay empregadinhacoroa da buceta griluda espirando poro logecontos nininha puta buceta de cajaraconto viado amarrado e folgadozoofiliacoroas boasconto viúva fogosacontos eroticos fazendo o bico dos seios dando de mamarConto ertico. Minha adrasta. Bebiaminha tia travesti contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto tia saidinhaconto erotico meu professor me encoxou para senti seu paucomi a buceta da enfermeira elaine do posto de saúdeOlá , meu nome é Tati sou morena , alta , magra , pois bem , vamos ao contocontos eroticos noivas.boqueterastravesti de microsaia fica de pau duro na ruacontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos para ler incestos abusada bebadaconto arebentarao meu cu meumaridocontos de estupro nao resiste minha enteadapadrastro chupando a xoxota da enteada de 15anoa ater el gozamete mete contocontos de pervertidoscontos de mulheres ninfomaniaca por sexocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos menina de 07anos dando a xaninhacontos eróticos esfregaçãocontos porno sou putinha pra minha mae no puteiro da familiacontos eroticos o pauzudo e o cornocontos eroticos espermamae e filha sendo arrombadas contominha professora me deu carona e pegou mo meu caceteContos eroticos menino meu amigo comeu minha esposa ela deu para o meninoesposinha chorosa: contosconto crente corno e curradocontos mordidinha na bucetaconto erotico incesto sonifero filhameu vizinho fica me olhando de shortconto erotico comendo a dona da mercearia do bairro onde morosou casada madura mas na chacara bati uma punheta pro visinhocontos de patroaesposa grupal com 18 aninhos contospai emfia pica filha morrocontos eróticos fazer oque a sogra me deu a bundacontos eroticos com homem contratado para engravidarminha esposa raspadinha e puta contoConto os seios de minha maecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteTrempando em cima da lancha com o coroa conto eroticoContos erpticos menininha de ruaNetinhas mamando pica contoseroticoscontos casadas descrevendo o corpo com seios e bundas grandesgozano na outra calada