Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FUI ESTUPRADA POR MINHA CULPA

Fui estuprada por minha culpa.



Sempre fui uma menina muito safada, desde pequena gostava de brincadeiras bem picantes com os coleguinhas e com os primos, já comecei a dar aos 19 anos. Quando comecei a ganhar corpo de mocinha o meu principal prazer era ficar deixando os homens loucos, adorava me exibir e adorava quando mexiam comigo e falavam safadezas. Uma das coisas que mais me deixava doida eram as histárias de estupro, ficava doida quando via nas reportagens e ficava imaginando um monte de coisas, de vez em quando até sonhava com isso e sempre acordava excitada. Hoje tenho 19 anos, mas o que vou contar agora me aconteceu quando eu estava práxima de fazer 16.

Moro a alguns anos em um condomínio em uma praia do Esp Santo, de alguns anos para cá começaram a construir alguns prédios na parte menos frequentada dessa praia, então começou a aparecer muitos peões e eu adorava atentá-los, numa dessas obras tinha uns caras que ficavam loucos comigo, eu passava constantemente em frente a obra deles e sempre me exibindo muito, eles mexiam sempre comigo e aí eu me exibia mais ainda. Tinha um bar em frente a obra onde eu fazia questão de ir sempre comprar sorvete, e ficava tomando lá mesmo sá para eles ficarem me olhando, deixava eles doidos. Não sou um mulherão para os padrões brasileiros, sou baixinha, mas sempre tive uma bunda bem redondinha e coxas muito grossas e sempre fiz questão de explorar isso. Quando ia no bar sempre procurava uma mesa onde tivesse algum peão e sentava na mesa de frente p ele, as vezes quando ia de saia, deixava sá um pouquinho da calcinha à mostra, ficava doida quando ouvia eles coxixando baixinho sobre mim, ás vezes quando algum mexia eu tirava sarro com a cara do coitado, dizia q eu não era para o bico deles, que podiam sá ficar sonhando, eles ficavam putos. Sempre que podia eu ia à praia e ficava exatamente na frente da obra (apesar daquela parte da praia não ser muito boa), eu usava biquínis minúsculos sá para perturbar eles, alguns já tavam levando até bináculo para ficar me olhando, alguns paravam de trabalhar para ficar me olhando, ainda mais quando eu ficava tomando banhos bem demorados no chuveirinho do quiosque. Eu perturbei eles por meses, até que em julho do ano passado eles deram o troco. Passei em frente a obra para ir a academia, vi de longe q alguns deles estavam no bar em frente, fiz questão de parar e pedir um sorvete, como sempre fazia, encostei no balcão e fiquei xupando o sorvete lá mesmo, eu tava com uma bermuda da academia e uma calcinha bem pequenininha, que mostrava bastante o formato da minha bunda e minhas coxas, fiquei de costas para um grupo que bebia na mesa. Nisso ouvi vários comentários baixinhos, do tipo:

- já´pensou metendo nessa bundinha gostosa?

- essa baixinha deve fuder muito gostoso

- imagina esse cuzinho de 4

- ela tem cara de que já fode a muito tempo

- daria tudo para dar uma pirocada nessa putinha



Fiquei ali um tempo ouvindo esses comentários e tomando meu sorvete, quando saí comentei em voz alta com a menina do balcão:

- Tem gente que não se enxerga mesmo né?

Dei uma olhada de desprezo para a mesa que eles estavam e saí andando e rebolando mais ainda e fui para a academia. Quando voltei da academia, vi que o quiosque já estava fechado e que o portão da obra estava entreaberto, fui andando meio receosa porque a rua já estava deserta, não morava quase ninguém naquela parte ainda, quando cheguei perto do portão vi que tinha alguém no cantinho, fiquei gelada na hora, mas continuei e sá senti um braço forte me agarrando pelo meio e uma mão tampando minha boca, ele me levantou do chão e me arrastou para dentro do pátio e disse no meu ouvido que era para mim não gritar que seria pior, meu coração disparou e eu quase chorei de medo, quando olhei em volta vi que o vigia da obra estava com uma arma na mão e que tinha mais 2 caras além do que me arrastou, aí eu comecei a chorar de verdade, pedi pelo amor de Deus que não fizessem nada comigo e eles foram me arrastando mais para dentro do pátio, sá o vigia ficou no portão. Um deles, o que me arrastou era bem coroa, negro e muito grande e bastante nervoso e agressivo, os outros 2 eram bem garotos, não deviam ter mais de 20 anos, estavam um pouco assustados, mas não eram tão violentos.

Quando eu implorei para não fazerem nada comigo, o coroa deu uma gargalhada e disse:

- Viram? Agora a vagabundinha tá com medo. É sá você ficar boazinha que não vamos te machucar muito. Hoje você vai ver no que que dá mexer com peão.

Aquilo me deu um gelo no coração. E ele continuava me segurando por trás e me apertando forte,. Pensei em gritar, mas olhei para o portão e vi o vigia com a arma na mão, aí um dos rapazes falou:

- Ta vendo né?, é melhor ficar quietinha mesmo

O coroa pegou nos meus 2 peitos e apertou com força, doeu pra caramba, dei um suspiro. Ele falou para os outros:

- Vamo vê se essa putinha é gostosa mesmo

Me empurrou para uma mesa grande de madeira, com bancos em volta, axo q era onde eles comiam, porque tava suja de restos de comida e engordurada, me deu nojo na hora, mas ele me levantou e me jogou em cima da mesa e me mandou deitar

- Deita aí logo sua putinha.

Ele me jogou com tanta força que bati com a cabeça na mesa e até fiquei meio tonta. Os 2 rapazes vieram logo levantando minha blusa e começaram a xupar meus seios, um deles xupava com tanta força q parecia q iam arrancar. Nisso o coroa arrancou minha bermuda de lycra, pensei q ele ia arrancar minha calcinha, mas ele sá segurou do lado e puxou com toda força, estourando o elástico, levei um susto. Ele me deu um tapão na coxa e disse:

- Abre logo essa porra dessa perna

Pegou minhas pernas e abriu com tudo, passou o dedo na porta da minha buceta e enfiou com tudo, não aguentei e soltei um gritinho de dor, o dedo dele era grosso e áspero, e minha buceta tava seca, ele ficou metendo com toda força o dedo na minha buceta, eu contraia o corpo de dor mas ele enfiava mais e disse para os colegas:



- Vamo logo, coloca essa riquinha vagabunda pra xupar um pau de peão



Um deles subiu na mesa e ficou por cima de mim, ajoelhou de frente pro meu rosto e foi descendo até o pau dele chegar na minha cara e mandou eu abrir a boca, eu virei o rosto, aí o coroa falou:



- Chupa logo, ce ta com nojo? Ce já deve ter chupado um monte, anda logo vagabunda



O rapaz segurou minha cabeça para eu não virar de novo e eu abri a boca, ele enfiou com tudo, quase engasguei, ele começou a abaixar e levantar minha cabeça, fazendo um vaivém no pau dele. O outro rapaz falou que ele também queria, aí eles trocaram de lugar, quando o outro abaixou no meu rosto eu quase vomitei, ele tava com cheiro muito forte de pinto sujo, um cheiro de suor com urina, sei lá, sá sei que era bem nojento, ele segurou minha cabeça e não me deixou tirar o pau, tive que prender a respiração para não vomitar. Nisso senti o coroa enfiar a cabeça no meio de minhas pernas e passar a língua na minha buceta. Eu estava toda suada, nem tinha tomado banho na academia, devia ta até fedendo, mas ele não quis nem saber, enfiava e língua em mim e me sugava, depois ele deu uma mordida na minha buceta que me machucou. Sá não gritei porque tava com um pau na boca, mas retraí meu corpo na hora, e o desgraçado deu uma gargalhada na hora e disse:



- Viram? Quase arranquei um pedaço dessa buceta gostosa.



Os outros 2 continuavam se revezando na minha boca, quase me fizeram vomitar varias vezes, socando o pau na minha garganta.



O coroa parou de me xupar, pegou nas minhas pernas e me arrastou com tudo para a beirada da mesa, senti uma coisa gosmenta nas minhas costas, acho que era resto de comida da mesa, o rapaz que eu tava xupando quase caiu em cima de mim e eu quase mordi o pau dele sem querer, mas assim q ele saiu de cima o outro veio de novo.Eu fiquei na beiradinha da mesa e o coroa abriu e levantou um pouco minhas pernas, senti ele encostando o pau na minha buceta e tentei puxar um pouco o corpo para trás, ele me segurou e falou com raiva:



- Fica quieta vadiazinha, vou enfiar na sua bucetinha, agora você vai ter o que queria.



Ele colocou na entrada da minha buceta e começou a forçar, eu pedi q pelo amor de Deus ele não fizesse aquilo, que se ele quizesse eu xuparia ele também, ele mandou o amigo dele enfiar o pau na minha boca para eu parar de falar, e o rapaz obedeceu, enfiou tudo na minha boca e ficou segurando minha cabeça para não tirar da boca, nisso o coroa encostou o pau de novo na minha buceta e enfiou com tudo, aquilo parecia que tava me rasgando, eu tava seca e a cabeça do pau dele parecia ter um formato estranho, nunca senti tanta dor na buceta, nem quando dei a primeira vez. Eu tentei me debater, mas o rapaz q tava com o pau na minha boca tirou e sentou na minha barriga e o outro correu para segurar minhas pernas. Eu pedi pelo amor de Deus para tirar, que tava doendo muito, que tava me machucando, ele disse:



- Nunca deu prum macho de verdade? Agora vai sentir um pau de peão te arrombando e não os viadinhos riquinhos que te comem.



Eu comecei a chorar muito e soluçar, pedindo para parar, os outros 2 nem colocaram o pau mais para eu xupar, sá ficaram me segurando para o amigo deles me comer, e ele segurava a minha cintura com tanta força, com aquelas mãos grandes e ásperas, que tava me machucando, eu rezava para ele acabar logo, quando ele começou a ir mais rápido e mais forte e falava:



- Segura ela que eu vou encher a buceta da riquinha de porra, é isso que ela queria.



Ele gozou rápido e eu senti aquele jato lá dentro de mim, senti que ele tinha gozado muito. Ele ainda com o pau dentro de mim perguntou se eu tinha gostado de dar prum macho de verdade. Quando ele tirou de dentro de mim eu me senti arrombada, toda dolorida. A minha sorte é que ele gozou rápido. Ele tirou o pau e me puxou com tudo pelo braço de cima da mesa e disse:



- Desce logo daí putinha, chega de ficar deitada nessa mordomia.

Eu quase caí no chão, mas ele segurou no meu braço, me levantou e me deu um tapão na cara, eu desabei a xorar e falei que já tava bom, que me deixassem ir embora, pelo amor de Deus. Ele me disse que parasse de frescura, que mulher de peão gostava é de apanhar mesmo. Disse para os outros 2 que agora era a vez deles, mas que antes eu ia ter que limpar o pau dele. Ele sentou na beirada da mesa e foi sá aí que fui ver o pau do coroa e soube porque senti tanta dor. O pau dele era o mais estranho que eu já vi, não era tão grande, mas era grosso, tinha uma cabeça redonda, bem mais grossa que o resto do pau (enorme mesmo), parecia que tava inchada e ainda por cima era bem torto, ele tava com o pau amolecendo e mandou que eu xupasse logo, que deixasse ele limpinho e que sentisse o gosto da porra dele. Me deu muito nojo, aquele coroa nojento com o pau pingando porra, hesitei um pouco e ele me puxou pelo braço, segurou meu cabelo e abaixou minha cabeça com força e disse:



- Chupa logo essa porra e para de frescura sua vadia, vem mamar no seu macho, anda.



Ele segurou minha cabeça e eu coloquei o pau dele na boca com muito nojo, eu quase vomitei e ele percebeu, tirou o pau da minha boca e deu uma cuspida na minha cara e depois outro tapão q eu quase caí, aí ele falou:



- Chupa essa porra direito. Viram? a fresquinha tem nojo de porra, eu tinha q ter gozado é na boca dela.



Nisso eu levei a mão no rosto para limpar a cuspida dele, ele segurou minha mão e disse que não tinha mandado eu limpar nada, chamou os amigos dele e disse:



- A putinha ta com nojo do meu cuspe, vem cá, vamos mostrar pra ela.



Ele segurou minha cabeça e mandou os outros 2 cuspirem na minha cara também, eles vieram e cuspiram quase ao mesmo tempo na minha cara, eu fechei a boca e os olhos,senti que minha cara tava toda cuspida, aí ele me virou de frente p ele, chegou bem perto e cuspiu de novo também e me disse:



- Pronto, agora a riquinha vai parar de frescura.



Eu já nem conseguia chorar mais, tava me sentindo nojenta, sentia um monte de porra escorrendo pela minha perna e tava com o rosto fedendo do cuspe deles. Ele se sentou de novo na mesa e me mandou xupar direito dessa vez. Eu olhei para o vigia no portão com a arma na mão e perdi toda a esperança de tentar sair dali. Então abaixei e comecei a xupar o pau dele de novo. Nisso senti alguém me pegando por trás e tentando enfiar na minha buceta, mas como sou muito baixinha, ele demorou a conseguir. Dessa vez não senti tanta dor, a pau dele era bem menor e ele não era tão agressivo como o coroa. O rapaz reclamou que naquela posição tava muito difícil porque eu era muito baixa. O coroa falou pra ele:



- Deita aí no chão que vou colocar a vagabunda em cima do seu pau.



Eles obedeciam tudo q ele mandava, acho q é porque era mais velho e mais bravo.

O rapaz deitou no chão sujo e o coroa mandou eu parar de xupar e ir satisfazer logo o amigo dele. Eu já tava me conformando e vi que não adiantava tentar resistir, fui e sentei logo, entrou tudo de vez, mas não senti dor não, axo q a porra do coroa ajudou a lubrificar, mas eu sentei nele e não tive reação, fiquei parada e ele pediu para eu rebolar no pau dele, eu comecei e me mexer devagar, aí o coroa se irritou, pegou nos meus 2 peitos e apertou com muita força, eu quase dei um grito, mas me segurei, ele continuou apertando e disse:



- É assim que se rebola piranha? Não sabe dar não? Meu amigo também quer gozar nessa sua buceta, anda faz isso direito, se não quiser apanhar mais.



Eu comecei a xorar de novo e comecei a cavalgar o rapaz, mas não parava de xorar, então o coroa mandou o outro rapaz enfiar o pau na minha boca para me fazer parar de resmungar e o rapaz novamente obedeceu, enquanto isso o outro começou a se movimentar rápido por baixo de mim, bombando com força, senti q ele ia gozar, fiquei aliviada, pois já estava um pouco cansada. Ele também me encheu de porra. Quando tentei levantar o coroa me disse:



- Ta com pressa putinha? Deixa ele sair e fica quieta aí que vai cavalgar outro agora.

E fez sinal p o outro rapaz deitar, mas esse disse que queria me pegar por trás, foi num monte de lajotas q estava práximo do portão e trouxe duas, colocou perto da mesa, me mandou subir em cima e colocar as mãos na mesa, fiz isso, mas o coroa veio e puxou minhas mãos mais para o meio da mesa e mandou eu empinar mais a bunda. Tive que colocar meu rosto naquela mesa nojenta, com cheiro de gordura velha, mas eu já nem tava ligando mais para isso, sá queria que eles acabassem logo. O coroa me viu naquela posição, veio e me deu um tapa táo forte na minha bunda que quase me derrubou das lajotas, aí pegou minha bunda com as duas mãos e abriu e falou para os outros:



- Não falei que esse cuzinho ainda era virgem? Olha como ta fechadinho.



Mas eu não era virgem não, já tinha dado a bunda uma vez para um namorado meu.



O coroa soltou minha bunda e falou para o rapaz:



- Vem logo, ensopa mais a bucetinha dessa putinha, vamos deixar ela bem xeinha, vai logo, ela ta esperando.



O rapaz se ajeitou atrás de mim, mesmo com as lajotas a minha altura ainda não ficou legal, mas ele se abaixou um pouco e enfiou de uma vez, mas nada doeu tanto quanto a metida do coroa. Ele começou a socar com força e eu caí da lajota e o pau dele saiu de dentro, eu voltei rápido, com medo de apanhar, ele enfiou de novo e logo nas primeiras bombadas eu desequilibrei de novo e o pau saiu outra vez, nisso o coroa chegou perto e deu um tapa com tanta força entre minha coxa e minha bunda, que ficou latejando. Eu comecei a chorar de novo, mas voltei rápido para minha posição, aí comecei a me segurar firme na mesa para não cair de novo. O rapaz começou de novo e rapidinho gozou. Minha buceta tava tão inundada que nem senti direito se tinha sido muita porra igual os outros, mas quando ele tirou senti a porra escorrer de novo pelas minhas pernas. Passei a mão na minha buceta e senti uma ardência. O rapaz olhou para mim e perguntou:

- Ta doendo a bucetinha, né? Nunca levou tanto pau?



Eu não respondi nada, mas tava sentindo arder bastante. Eu peguei a minha bermuda no chão e disse:

- me deixem ir agora, por favor, não aguento mais.



O coroa olhou para o relágio e me respondeu:



- .Ainda ta muito cedo, ainda não tem uma hora que ta aqui. Esperamos isso muito tempo, você não vai fazer essa desfeita com a gente.



Olhou para os 2 rapazes e perguntou se eles já queriam ir embora. Os 2 disseram que não, eu comecei a chorar e implorar, disse q já tava tarde, que minha mãe podia me procurar. Que eles já tinham feito o que queriam O coroa perguntou aos 2 se já estavam satisfeitos e eles olharam para mim, depois para ele e balançaram a cabeça que não. Aí o desgraçado tomou a bermuda da minha mão, deu uma gargalhada e disse que eu ia ter que satisfaze-los de novo. Nisso os 2 rapazes vieram me agarrando, apertando minha buceta, minha bunda, mordendo e sugando meus peitos, que já estavam roxos e doloridos pelo que já tinham feito. A partir daí começaram mais uma seção de humilhação e sadismo que sá terminou quase 3 horas depois.



Se quiserem que eu conte o que mais aconteceu naquela obra, entrem em contato, façam seus comentários e me peçam que eu envio o resto.



[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto dpConto de cadelinha depósito de porra dos machos no bar[email protected]contos meu pai me arrastava pro matomamae beija filhinha contoscontos eroticos meu pai me seguiu ate o baile funkContos eroticos menino meu amigo comeu minha esposa ela deu para o meninocontos de inxesto como o meu marido não me notava então eu fiquei dando mole para o meu irmão para ver o que ia acontecercontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteesposa nua na internet contossenta aqui sua safada contos eróticoscalcinha incesto contosComi a cadeirante casada contosComtos mae e filha fodidas pelos amigos do paicontos eroticos filha novinha da empregadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos: sentei no colo do velhoporra "varios caras" contoscontos eroiticos de gente que participou do d4swingcontos eroticos meu priminho gordinhodevagarsinho entrou tudo no cuzinho contosfudi gostoso no volleyJá botei ela para transar eu não vai botar o vídeo dela transando gemendo tázoofili a nimada travestinovinha andando so de calcinha pensando que estava sozinhaconto erotico com sadomasoquista cinto de castidadecontos a pica do pacienteconto - amor de pica doentiomeu amigo pediu pra eu comer sua namoradacontos erodicos de cabrito macho fazendo sexo com gostosa zoolofiacontos eroticos domia ele cospi nu meu cucontos eroticos so no cuzinhos das meninascontos meu pai me arrastava pro matocontos nao tinha camisinhaContos de sexo minha esposa deu a buceta pra os pirralhosvou começar com Vanessa bucetacasaei com uma safada contoscontosherotico sogravideos de foda grotesca de mulher que mija e chora com um pau muito grandehomen bulinando o penis no chortcontos erotico ensinando o meninocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentemae e dia acradando o filho na punhetaconto erotico em familiaEncoxei.um crente no onibus contozoofili a nimada travestiincesto furapornoContos erotico enfiando a mao no cuconto de esposa vendo seu marido na rola de outrocontos eróticos vovó safadacontos eróticos comendo a mulher negra do meu paicontos erótico com enfermeiraNayara chupando contoprimeira mulher a fazer zoofilia.no cinemaporno linguada no saco orgia no baile de carnavalsou casada vi o meu vizinho na punhetaPeguei meu entiado masturbando com minha calcinha.conto eroticoembebedei minha irma e a comi conto eroticocontos de incesto pais deflorando filhasassalto a minha casa eu e minha mãe contos eróticos gang bangRecém casadas traindo em contoscoroa gostosa e pega de surpresa por entregadorconto lesbico porque ela mim olha assim sao miguel?contos eroticos pedio para mamar nos meus seios cheios de leite materno.contos eroticos amamentacaocontos eróticos de lésbicas se chupando em Miamicontos eroticos pintinhoEu agora eu sou mulher do meu ex primo viuvo conto eroticocontos eroticos, venerava meus mamilosContos reais de marido corno arependido em deixar esposa trepar.cocando a xerecona cabeludona por baixo da saia sem calcinhas